Atletismo vira prioridade tecnológica de marcas para Londres

Mike Parker, CEO da Nike, apresenta o Turbo Speed

Mike Parker, CEO da Nike, apresenta o Turbo Speed

Sem o supermaiô da natação, que gerou diversas quebras de recordes nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008, o atletismo deverá ser o palco para inovações tecnológicas na edição deste ano, em Londres. Essa pelo menos é a aposta da Nike, que foi a primeira grande fabricante de material esportivo a divulgar os lançamentos de roupas e calçados para as Olimpíadas.

A grande novidade e aposta da empresa é o Nike Pro Turbo Speed, desenhado para os atletas de velocidade no atletismo. A roupa segue a linha daquela lançada nos Jogos de Sydney, em 2000, quando os velocistas tinham praticamente todo o corpo coberto pela vestimenta.

Agora, a principal alteração da roupa são microporos espalhados nas zonas mais aerodin"micas, que permitem um ganho de velocidade ao competidor. Segundo a Nike, com o uniforme o atleta consegue ser 0,13m e 0,023s mais rápido que os adversários nos 100m rasos. A empresa usou seus principais atletas de velocidade para desenvolver o uniforme, que passou por mil horas de testes em túneis de vento.

"Toda inovação começa com o atleta. É ele quem define os limites e como ultrapassá-los", afirmou Martin Lotti, diretor global criativo da Nike. 

Outros lançamentos similares, de outras marcas, devem acontecer nos próximos meses, segundo acredita a própria Nike. A empresa acredita que haverá uma concorrência parecida com a dos supermaiôs, que nas três últimas edições de Jogos Olímpicos provocaram diversas quebras de recordes e polêmica quanto à interferência tecnológica sobre o desempenho esportivo.

Em Londres, tal como foi a natação em Pequim, outro componente deve ajudar para que novos recordes sejam estabelecidos. A concepção arquitetônica do estádio Olímpico foi feita de modo a permitir que o ar não interfira tanto na performance dos atletas. Dessa forma, eles conseguem ser naturalmente mais rápidos. Em 2008, na natação, a piscina do Cubo Mágico, onde ocorreram as provas, foi criada de forma a diminuir o atrito do nadador com a água e torná-lo mais veloz.

Não à toa, em Londres, o presidente do Comitê Organizador é o ex-medalhista olímpico brit"nico no atletismo, Sebastian Coe. O ex-atleta, que foi patrocinado pela Nike, tem no desenvolvimento do atletismo na Inglaterra após os Jogos uma das justificativas para a manutenção da pista de atletismo no estádio Olímpico depois de encerrado o evento, em agosto deste ano.

* O repórter viaja a convite da Nike