Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Audiência do Super Bowl confirma pior NFL da década

No streaming, liga americana conseguiu seu melhor resultado

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 07/02/2018, às 11h10

Imagem Audiência do Super Bowl confirma pior NFL da década

A NFL, definitivamente, não teve uma boa temporada, pelo menos no público da televisão. O Super Bowl, evento disputado no último domingo, teve a pior audiência desde 2008, nos Estados Unidos. Foram 103,4 milhões de pessoas que acompanharam a partida entre Philadelphia Eagles e New England Patriots pela NBC, canal que exibiu o evento neste ano.

O número, claro, ainda é alto, o suficiente para manter o Super Bowl com sobras como o programa de maior audiência da televisão americana. Mas foi a terceira queda seguida da partida que define o campeão da NFL. Em 2015, houve o recorde de alta, quando 114,4 milhões de pessoas assistiram à disputa. Depois, apenas quedas.

A baixa audiência confirmou o mau momento vivido pela liga de futebol americano. Na atual temporada, a média de audiência foi 10% menor em relação ao ano passado. Ao longo do último ano, os números baixos foram relacionados aos protestos de jogadores no hino nacional dos Estados Unidos e até aos diferentes hábitos da nova geração. A expectativa, no entanto, era de alta na decisão do torneio.

Para a NBC, a transmissão foi lucrativa, com a venda dos espaços comerciais mantida no pico, a US$ 5 milhões por 30 segundos. O valor é o dobro do que as emissoras cobraram há uma década. Mas, com os atuais números, é possível que a CBS tenha que reduzir as quantias para a transmissão do próximo ano.

Há, por outro lado, algumas questões que amenizam a situação da NFL. A primeira, claro, é a manutenção do alto apelo do jogo. A queda recente acontece após anos de ouro do Super Bowl. As 103 milhões de pessoas são suficientes para colocar a partida do último domingo na 10ª posição entre as maiores audiências da história da televisão americana.

Outra questão está no streaming. Neste ano, mais de dois milhões de pessoas assistiram à partida pela internet nos Estados Unidos. Não é o suficiente para compensar a queda observada na audiência da televisão, mas é o maior público nas novas plataformas na história do Super Bowl.

Por fim, há o crescimento em outras regiões no mundo, que cada vez mais ganham importância para a liga americana. No Brasil, a ESPN conseguiu a audiência mais alta do evento, com aumento de 14% em relação ao ano passado. A emissora foi líder entre todos os canais pagos no momento do Super Bowl. Segundo o Ibope Repucom, o país já é o segundo mercado da NFL fora dos Estados Unidos, atrás apenas do México.