Boca usa escolas para aumentar licenciados no país

Reunião de garotos em evento que inaugurou escola do Boca na Penha

Reunião de garotos em evento que inaugurou escola do Boca na Penha

A principal missão das escolas que o Boca Juniors pretende abrir no Brasil é ampliar a força da marca do clube no país. No entanto, essa não é a única. A equipe argentina também espera que a iniciativa na região vizinha sirva como base para ampliar a quantidade e a diversidade de produtos licenciados.

Atualmente, o Boca tem quatro licenças vendidas para o território brasileiro: bonés, coolers, mascotes e camisas retrôs. A meta da diretoria argentina é fechar ao menos mais um segmento ainda neste ano.

Para isso, o Boca Juniors já definiu até as áreas em que tem mais interesse. O clube busca parceiros para licenciamento em material escolar, roupas casuais e roupas de cama, mesa e banho.

O modelo de atuação do Boca Juniors em produtos licenciados é de cessão de marca. O clube vende a empresas o direito de usar sua marca em determinados segmentos, e depois avalia a qualidade dos artefatos produzidos. O parceiro se encarrega de criação, desenvolvimento e distribuição.

A ajuda das escolas de futebol que o Boca pretende abrir no Brasil pode ser ainda mais incisiva. Esses centros podem abrir lojas com chancela do clube para vender produtos sobre futebol.

No caso das lojas, porém, não haverá limite ao Boca. A análise da diretoria argentina é que seria impossível ter distribuição e volume de vendas suficientes para sustentar um ponto exclusivamente voltado ao clube. O mais provável é que esses locais tenham toda a coleção da equipe, mas que comercializem também peças de outros times estrangeiros.