Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Brasil Open muda para novembro e foca no mercado nacional

Torneio passará a ser jogado na semana da Copa Davis, após o ATP Finals

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 18/11/2019, às 07h32 - Atualizado às 10h32

Imagem Brasil Open muda para novembro e foca no mercado nacional

O Brasil Open de tênis desistiu de concorrer com os principais torneios do mundo e, a partir de 2020, terá uma nova data de realização, preocupando-se mais com os jogadores brasileiros do que com a relevância de nomes internacionais.

Com o objetivo de não conflitar com os principais torneios do saibro na gira sul-americana, os organizadores do Brasil Open decidiram mudar a competição para o final de novembro, quando a maioria dos atletas está concentrada nos torneios de fechamento da temporada.

Agora, o torneio de tênis mais antigo do país, que entrará em sua 20ª edição em 2020, passará a ser jogado na semana de 23 de novembro, quando está prevista a disputa da Copa Davis e depois de já ter ocorrido o ATP Finals, competição de encerramento do calendário com os melhores da temporada.

Foto: Reprodução

A recolocação do torneio no calendário acontece depois que a Octagon, detentora da data do ATP 250 em que acontecia o Brasil Open, decidiu mudar para Santiago a realização da competição. Nos últimos anos, o torneio brasileiro reduziu bastante de importância por acontecer na semana seguinte ao Rio Open, que tem o status de torneio ATP 500.

A mudança para novembro também deve fazer a organização dar mais espaço para os jogadores brasileiros na disputa. No comunicado em que foi anunciada a mudança de data, a organização limitou-se a dizer que o Brasil Open "ganhará um novo formato que trará benefícios diretos para o tênis brasileiro, patrocinadores, parceiros e para o público em geral".

O projeto do Brasil Open está aprovado para captação na Lei de Incentivo ao Esporte ao custo de R$ 5.527.892,52. Até agora, porém, nenhuma cota foi comercializada, segundo dados do sistema do governo federal.