Brasileirão rende lucro de R$ 51 milhões a clubes

Bilheterias geraram 623% menos receita que patrocínios em 2010

Bilheterias geraram 623% menos receita que patrocínios em 2010

O Campeonato Brasileiro de 2010 rendeu aos 20 clubes participantes, entre maio e dezembro, lucro aproximado de R$ 51,7 milhões. O número representa os valores efetivamente embolsados pelos times nas 380 partidas disputadas, após descontar despesas de naturezas distintas, e ainda compõe pequena parcela nos orçamentos das equipes em termos de receita.

Nesta temporada, de acordo com pesquisa realizada pela Trevisan Gestão do Esporte, os principais clubes do país receberam R$ 374 milhões em patrocínios, entre cotas máster, complementares e fornecedores de materiais. Os aportes, portanto, geram 623% mais receita que bilheterias aos times, considerando apenas a renda obtida no torneio nacional em tíquetes.

O Corinthians, líder em lucro a nível nacional, amealhou cerca de R$ 11 milhões com a venda de entradas e R$ 59,5 milhões com patrocínios, quesito no qual também está em primeiro lugar. O Flamengo, por sua vez, lucrou R$ 2,6 milhões nas bilheterias, após ter perdido R$ 877 mil em penhoras para pagamento de dívidas, e teve o segundo maior patrocínio do país, de R$ 57 milhões.

Mesmo entre clubes com lucro acima da média na venda de ingressos, caso do Grêmio, que embolsou R$ 4,3 milhões, o valor obtido com patrocínios ainda é bastante superior, uma vez que o clube gaúcho atingiu R$ 22,1 milhões nessa contagem. Todos os outros clubes tiveram desempenhos similares, com patrocínios muito acima das bilheterias em termos financeiros.

Em relação aos times que tiveram as piores performances na comercialização de entradas, curiosamente, apenas uma equipe rebaixada à segunda divisão está entre os quatro piores – Grêmio Prudente (R$ 496 mil). Os outros três clubes com lucros mais baixos são Atlético-PR (411 mil), Avaí (586 mil) e Vasco (R$ 741 mil). O último foi afetado por penhoras.