Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Bruno Soares e Bellucci serão mentores de jovens do Time Guga

Após um ano de início do projeto que reúne promessas do tênis, Gustavo Kuerten anuncia entrada de profissionais

Diana Amato e Wagner Giannella - Rio de Janeiro (RJ) Publicado em 21/02/2019, às 09h20 - Atualizado às 12h20

Imagem Bruno Soares e Bellucci serão mentores de jovens do Time Guga

Gustavo Kuerten decidiu que vai unir atletas profissionais ao projeto de gestão de jovens tenistas que leva o nome do tricampeão de Roland Garros e foi lançado em 2018.

Na tarde de quarta-feira (20), ele anunciou a chegada de Bruno Soares e Thomaz Bellucci ao "Time Guga". Os dois atuarão como uma espécie de mentores dos jovens que fazem parte do projeto de auxiliar atletas na transição ao tênis profissional.

"Até hoje chegamos onde chegamos por esforços individuais. Com esse projeto, queremos unir forças para ajudar esses jovens jogadores e tornar o cenário mais favorável", afirmou Bruno Soares, um dos melhores jogadores de duplas do circuito.

A função dele e de Bellucci será de auxiliar os jovens em começo de carreira. Neste Rio Open, dois atletas do Time Guga disputaram o qualifiyng.

"É muito legal os jogadores jovens participarem desse universo, ganhar a experiência de jogar um torneio desse porte em casa. O Rio Open serve de alavanca para a transição, para eles ganharem fôlego para o restante da temporada", afirmou o ex-tenista.

O projeto conta hoje com oito atletas e, segundo Guga, ganhará reforço de meninas e cadeirantes. O Time Guga é a ponta profissional do projeto de massificação do tênis criado pelo ex-jogador. A Escola Guga tem 50 unidades espalhadas pelo Brasil e reúne hoje cerca de 3.200 alunos.

A rede de franquias que tem o método de ensino de Guga foi anunciada durante o Rio Open de 2018. O projeto, agora, entra em nova fase. A pretensão do ex-tenista é ajudar a disseminar um modelo novo de formação de tenistas e, posteriormente, colaborar para o fortalecimento do topo da pirâmide, que é o profissional.