Burocracias atrasam cartões de crédito do Sport

Há dois meses, o Sport fez uma parceria com o banco Banorte para a confecção de um cartão de crédito que serviria também como ingresso para os sócio-torcedores do clube. A promessa é que os primeiros modelos já fossem distribuídos neste mês para aqueles que aderiram a essa possibilidade. Mas isso ainda não foi possível.

Toda a confecção do cartão atrasou. O cartão tem bandeira Visa, que tem que fazer a aprovação do modelo apresentado; a empresa avalia o desenho escolhido, tanto do Banorte quando do Sport. Esse processo é feito na sede, nos Estados Unidos, e não foi tão rápido quanto o previsto.

A diretoria de marketing do Sport espera resolver a questão nas próximas semanas. O cartão finalmente em funcionamento não será a única novidade na área de sócio-torcedores. O clube também planeja fazer uma nova campanha para sócios no fim deste mês, mas a ação permanece em sigilo.

O plano da atual diretoria é deixar o cargo, no fim de 2012, com 30 mil sócios no clube. O Sport quer abrir seu leque de associados para pessoa que não vivem em Recife, confiando no número de torcedores que vivem fora da capital pernambucana, tanto no interior do Estado quanto no resto do país.

Outro fator que o marketing pernambucano quer usar é a alta média de público do clube na Série B. Com quase 18 mil pessoas por partida, o Sport tem o melhor índice da competição. Com a maior competitividade pelo ingresso, a venda de um plano de sócio-torcedor fica com maior apelo ao público.