Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Cada vez mais distante do esporte, Correios cortam tênis

Parceria de mais de dez anos terminou em novembro e não será renovada

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 31/01/2019, às 08h38 - Atualizado às 10h38

Imagem Cada vez mais distante do esporte, Correios cortam tênis

Os Correios estão cada vez mais longe do esporte. Após reduções nos patrocínios nos últimos anos, a companhia estatal não renovará uma parceria que já durava mais de dez anos com a Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

Foto: Reprodução

A informação foi divulgada pelo Blog Olhar Olímpico, do UOL, e confirmada pela confederação. O último contrato era válido até novembro, e a renovação não aconteceu.

No início da parceria, com maior apoio público aos esportes olímpicos, os Correios pagavam R$ 8 milhões ao ano para a confederação. No entanto, em 2016, houve uma redução em todos os aportes da empresa. O tênis ficou com R$ 2 milhões da companhia brasileira.

A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) também já sofreu com reduções no aporte e hoje negocia a renovação. Em 2017, após escândalos na entidade, os Correios ameaçaram romper o contrato.

Atualmente, outras duas confederações mantêm o aporte dos Correios. No handebol, no entanto, o acordo termina no fim deste mês. Em 2018, a empresa também fechou uma parceria com a entidade que administra o rúgbi.

O movimento dos Correios deverá ser o mesmo de todas as empresas estatais neste ano, com forte redução nos investimentos em patrocínio esportivo. A Caixa, companhia que mais investiu na última década, tem sido o maior exemplo, com massiva saída dos clubes de futebol.