Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Caixa reduz exposição para manter valores no futebol

Estatal renegocia contratos, reduz espaço ocupado na camisa e mantém patrocínios a principais clubes

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 09/04/2018, às 07h28 - Atualizado às 10h28

Imagem Caixa reduz exposição para manter valores no futebol

A Caixa entrou, no mês de março, no período de renovação dos acordos de patrocínio no futebol. Seguindo a tendência dos últimos anos, o banco não vai aumentar o valor investido em patrocínio esportivo. E, para isso, a decisão da estatal passa por reduzir a exposição que terá na camisa dos clubes.

Segundo o blog do Rodrigo Mattos, no UOL, a Caixa provisionou R$ 153 milhões para serem investidos no futebol. Essa verba não contempla aumento no valor a ser investido dentro dos clubes, o que tem provocado uma renegociação das propriedades envolvidas.

Atlético-MG, Cruzeiro e Flamengo são três clubes que acertaram a renovação do acordo nessas novas bases. Os dois times mineiros passarão a ter a marca da Caixa só na parte frontal da camisa. E o valor de 2017 do patrocínio será reduzido em R$ 1 milhão.

O Flamengo é outro que mudou o contrato. O clube terá os mesmos R$ 25 milhões nos cofres. Mas, em troca, além de as costas da camisa, o X que ficava no ombro do uniforme sairá.

Essa renegociação de propriedades tem emperrado algumas confirmações de patrocínio neste primeiro trimestre. O Santos é um dos clubes da Série A que ainda não acertaram com a Caixa. Além dele, Botafogo e Vitória discutem as bases do contrato.

Desde 2016 que a Caixa vem renegociando os valores de seus patrocínios no futebol. O Flamengo foi o primeiro clube que conseguiu lucrar com essa estratégia, quando abriu as costas da camisa para outro patrocinador, fechando contrato com a MRV. A expectativa, agora, é de que novas marcas entrem nas camisas, reduzindo a força única da Caixa no mercado de futebol.

Em 2018, se todos os contratos forem renovados, o que deve acabar acontecendo, a Caixa terá 16 dos 20 clubes da Série A com sua marca na parte de maior exposição no uniforme. É uma das maiores hegemonias já alcançada pela empresa estatal desde que passou a patrocinar clubes, na edição de 2012.

Além dos clubes, porém, a Caixa tem ampliado acordos de patrocínio a campeonatos. Em 2018, além de patrocinar Campeonatos Estaduais ela deverá ser a patrocinadora das Séries B, C e D do Brasileirão.

Campeonato Paraibano tem patrocínio da Caixa

Ela só não está na principal divisão porque o acordo de patrocínio envolve as empresas patrocinadoras da transmissão da Globo. Assim, o Itaú ocupa a cota destinada ao segmento financeiro. No ano que vem, quando a venda das placas de publicidade nos jogos da Série A passam a ser também da CBF, a Caixa poderá ampliar ainda mais a presença no futebol.