Ceará despenca nos tíquetes e deixa de ser sensação

Performance nos ingressos impressionou em 2010, mas sumiu em 2011

Performance nos ingressos impressionou em 2010, mas sumiu em 2011

Quando o Ceará chegou ao Campeonato Brasileiro em 2010, impressionou. Até pouco antes da parada do torneio nacional para a realização da Copa do Mundo da África do Sul, em meados do ano passado, o clube ocupava a liderança da elite brasileira. Em termos de bilheterias, deixou adversários para trás. Mas a boa fase se foi.

Após o fim do primeiro turno do campeonato no último fim de semana, o clube alvinegro está na metade de baixo da tabela. Embora tenha alguns pontos de dist"ncia em relação ao grupo de futuros rebaixados, está ainda mais distante da zona da Copa Santander Libertadores.

Com a queda no desempenho esportivo, a performance financeira na comercialização de entradas se esvaiu. O Ceará encerrou a primeira etapa do Nacional com R$ 956 mil arrecadados, enquanto a edição do ano anterior havia registrado receita bruta de R$ 3,4 milhões.

Em termos de receita líquida, quando são descontadas da arrecadação as despesas com taxas e manutenção de estádio, a equipe cearense lucrou R$ 259 mil no torneio de 2011. Em 2010, esse número esteve em R$ 1,9 milhão no fim do primeiro turno. 

O levantamento feito pela Máquina do Esporte considerou 176 partidas das 190 que deveriam ter sido disputadas na primeira etapa do Nacional. Entre as restantes, uma foi adiada para outubro, e 13 não tiveram seus respectivos boletins financeiros publicados no site oficial da CBF, diferentemente do que manda a legislação.

Leia mais:

Brasileiro vê bilheterias estagnadas entre 2010 e 2011

Coritiba e Flu encerram primeiro turno com prejuízos

Bahia volta à elite com 3ª maior bilheteria do país

Ceará despenca nos tíquetes e deixa de ser sensação

Exilados, mineiros sofrem para lucrar com ingressos

Pacaembu é estádio mais dispendioso do Brasileiro