Ceará lança cartão e amplia sócio-torcedor

Limitação de lugares em estádio fez clube buscar opção para crescer

Limitação de lugares em estádio fez clube buscar opção para crescer

O programa de sócios-torcedores do Ceará chegou ao limite. Com 13 mil associados adimplentes, se a filiação der direito a ingresso gratuito, a equipe não conseguirá ampliar esse número devido à capacidade do estádio Presidente Vargas, de 20 mil lugares. Para solucionar esse dilema, o clube lançou nova modalidade de adesão.

O cartão "Fidelidade Alvinegra" consiste em parcelas mensais de R$ 12 mais taxa inicial de R$ 30. Em contrapartida, o torcedor ganha preferência na compra de entradas, com a possibilidade de comprá-las até 60 dias antes da partida, descontos em cerca de 120 estabelecimentos e em produtos licenciados, entre outros.

"É uma nova estratégia de fidelidade, com descontos agressivos, para que a gente consiga elevar nossa base de sócios para 80 mil, 100 mil", detalhe Mauricio Dias, coordendador comercial do Ceará, à Máquina do Esporte. O dirigente, contudo, evita precisar meta de quantidade de sócios a serem atraídos nos próximos meses.

O novo plano de associação representa maneira de atingir público de menor poder aquisitivo. "Estamos tentando possibilitar a quem não tem tanto dinheiro estar próximo do clube, comprar ingressos mais baratos, ter vantagens", afirma Dias. Outro objetivo  é, ao antecipar a venda de ingressos, reduzir a demanda em dia de jogo nas bilheterias.

A divulgalção da nova modalidade de adesão, entretanto, ainda não chegou ao ápice. O Ceará aguarda o fim das reformas no estádio Presidente Vargas, iniciadas em fevereiro de 2008 pelo poder público, para inflar a iniciativa. O cartão já foi lançado e está à disposição do público, mas espera-se que cresça de fato com a arena.