Clube dos 13 silencia sobre Globo e dissidentes

Fábio Koff, presidente do C13, não fará pronunciamento oficial

Fábio Koff, presidente do C13, não fará pronunciamento oficial

O Grêmio foi o primeiro clube a anunciar, na última quarta-feira, um acerto individual com a Globo para a venda dos direitos de transmissão de seus jogos no Campeonato Brasileiro. A postura da equipe gaúcha, que deve ser seguida por outros dissidentes nos próximos dias, desmoronou a licitação que o Clube dos 13 havia concluído na semana passada. Ainda assim, porém, a entidade não vai se posicionar oficialmente.

Procurado pela Máquina do Esporte, o C13 disse que não vai falar sobre times que acertarem individualmente com a Globo. O grupo tampouco fará anúncio oficial sobre medidas judiciais posteriores.

A negociação individual de direitos de transmissão carrega implícito o desmoronamento do Clube dos 13. O grupo que reúne 20 equipes do futebol nacional surgiu como o embrião de uma liga, no fim da década de 1980, mas depois se consolidou apenas como o fórum para negociação conjunta com a mídia.

No fim do ano passado, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) findou o direito de preferência da Globo na negociação dos direitos do Campeonato Brasileiro. Isso alterou drasticamente o cenário da licitação promovida em 2011, referente à venda do próximo triênio.

O C13 chegou a estipular um ágio de 10% favorável à Globo na licitação, mas o valor foi derrubado pelo Cade. E em meio ao processo, ao menos 12 equipes anunciaram que não aceitariam participar da concorrência.

Com as baixas, a Globo anunciou que não faria proposta oficial ao C13. A Record, horas antes da abertura dos envelopes, também refugou. Isso fez com que a RedeTV!, autora de oferta única, vencesse a disputa por R$ 516 milhões anuais.

Entretanto, a carta-proposta da RedeTV! condiciona o montante à presença de todas as equipes do Campeonato Brasileiro no negócio. O acerto individual das equipes com a Globo, portanto, encerra a viabilidade desse acordo.

A proposta da RedeTV! ao C13 foi apresentada nesta semana ao Cade. Se aprovada, deve originar um contrato. Esse documento será apresentado aos times que formam a entidade, mas o provável é que seja rechaçado por todos os dissidentes.