Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Clubes condicionam contratações a aumento de sócios-torcedores

Flamengo, São Paulo e Coritiba fazem uso de estratégia para ampliar número de associados

Duda Lopes - São Paulo (SP) Publicado em 12/03/2015, às 14h13

Imagem Clubes condicionam contratações a aumento de sócios-torcedores

O atacante Alexandre Pato, em jogo do São Paulo

Logo nos primeiros dias do ano, o Flamengo apresentou o jogador Marcelo Cirino. Na coletiva de imprensa, o presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello, fez uma promessa: “Se atingirmos 80 mil sócios até a metade de 2015, vamos fazer outra operação do porte dessa”. Por enquanto, o time tem 54 mil inscritos, mas o comprometimento tem se tornado comum no futebol brasileiro.

Agora, um time que já usou a mesma artimanha quer repetir o discurso. O São Paulo, ao apresentar o argentino Centurión, chegou a agradecer aos seus associados pela possibilidade de adquirir o jogador. Agora, o marketing tricolor se planeja para uma nova campanha, e a possibilidade de contratação deverá ser o norte da comunicação.

O foco da próxima campanha deverá ser Alexandre Pato, que pertence ao Corinthians. “O Pato é um jogador de 10 milhões de euros. É um projeto audacioso, e ele deverá fazer parte. Mas pode ser o Pato ou qualquer outro jogador que nós tenhamos interesse”, explicou o vice-presidente de marketing do clube, Douglas Schwartzmann.

A nova campanha para sócios no São Paulo só deve ser anunciada em abril. Atualmente, o clube passa por um processo de reformulação no programa, que atualmente abrange 52 mil associados.

Mas não é só o São Paulo que lançará uma campanha com esse mote. A diretoria do Coritiba estuda fazer o mesmo para contratar um novo camisa ‘10’. A vaga está aberta desde a aposentadoria de Alex, ídolo do clube.

O plano é lançar uma campanha para que um novo atleta seja contratado até o início do Campeonato Brasileiro. Para essa conta, o clube calcula que com 28 mil sócios-torcedores haja um faturamento garantido de R$ 16 milhões ao ano.

Neste momento, o Coritiba ainda pensa nos detalhes da ação. Não se sabe, por exemplo, se a meta a ser alcançada será realmente de 28 mil sócios ou se a campanha pedirá por 25 mil. Outra questão fundamental que ainda não saiu do papel é como a ação será comunicada aos torcedores.

No Flamengo, o apelo tem tido resposta pouco satisfatória. Nos próximos meses, a eficácia do pedido poderá ser vista em campanhas mais diretas.