Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Clubes de vôlei cobram espaço na Globo

Clubes de vôlei cobram espaço na Globo

Gustavo Franceschini em São Paulo - SP Publicado em 22/01/2009, às 08h00 - Atualizado às 10h00

O celebrado acordo com a ?Rede Globo?, que permitiria uma exposição maior na televisão aberta, está fazendo falta à Superliga de vôlei, ao menos na opinião de dois dos principais dirigentes da modalidade. A principal queixa é a ausência das primeiras finais de turno do prometido espaço em rede nacional. ?Eu acho que não está [tudo certo]. A Superliga foi reformulada por causa da CBV e da Globo. Tudo por essa exibição. Nós mudamos o sistema, e as finais dos torneios continuam sendo transmitidas pela Sportv e não pela TV aberta?, disse Sérgio Bruno Zech Coelho, presidente do Minas Tênis Clube. ?Tecnicamente está sendo aquilo que se esperava. Tem jogos excelentes, equipes muito fortes, mas em relação à exposição nós tivemos uma perda. Ano passado, a Globo transmitiu as finais dos turnos, e já não teve isso nesse ano?, disse José Montanaro Jr., diretor de vôlei do Santander/São Bernardo. Segundo os dois dirigentes, a ausência do vôlei não garante aos patrocinadores o retorno desejado no início do torneio. Mais que isso, a dist"ncia das telas seria um retrocesso em relação ao ano passado, algo não imaginado antes do início da Superliga, que prometia ser a mais rentável da história com nada menos que 44 atletas. A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), que liderou o processo de aproximação da emissora carioca anos atrás, prefere não interferir no assunto. Procurada pela reportagem, a entidade ressaltou que a competição é gerenciada pelos clubes, e se disse satisfeita com a Globo. ?Antes do início da competição, a televisão comunicou à CBV que o formato das transmissões deste ano seria diferente da temporada anterior, e comunicamos os clubes imediatamente. Mantemos sempre contato com eles, e a parceria está bem consolidada. Sempre conversamos para buscar uma melhor e maior exposição possível?, disse Renato D?Ávila, gerente de competições da entidade. A compensação pode estar em uma presença maior nos telejornais da emissora. As matérias noticiosas, prometidas pela Rede Globo, têm agradado a CBV. Os clubes, por sua vez, não se sentem aptos para avaliar a quantidade de reportagens. ?No começo, eles solicitaram sugestões de pautas, e a gente tem mandado várias. A intenção existia, só que ela não está acontecendo. Só que eu não sei dizer se está sendo cumprido ou não?, disse Zech Coelho. ?[Nos agrada] sim. Além de termos a garantia das transmissões das finais, a Superliga está constantemente no noticiário da emissora. Isto é importante para o desenvolvimento da competição?, disse D?Ávila. A reportagem da Máquina do Esporte tentou entrar em contato com o departamento de esportes da Globo para esclarecer as questões levantadas. Até o fechamento da matéria, no entanto, não obteve resposta.