Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Coca-Cola adquire title sponsor da Supercopa da Itália

Acordo terá início em 22 de dezembro, na decisão entre Juventus e Lazio

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 18/12/2019, às 10h32

Imagem Coca-Cola adquire title sponsor da Supercopa da Itália

A Lega Serie A, entidade que organiza a primeira divisão do futebol italiano, anunciou, nesta terça-feira (17), que vendeu o title sponsor da Supercopa da Itália para a Coca-Cola. Dessa forma, o torneio que envolve os campeões da Serie A e da Copa da Itália da temporada anterior passará a se chamar Coca-Cola Supercup.

LEIA MAIS: Futebol italiano adotará reconhecimento facial para frear racismo

O acordo, que não teve os valores e a duração exata revelados, surge menos de dois meses após a divulgação de uma parceria oficial entre a multinacional americana de refrigerantes e a Juventus em um contrato de dois anos. A estreia do title sponsor da Coca-Cola será já no próximo final de semana. No domingo (22), a própria Juventus, atual campeã italiana, enfrentará a Lazio, atual campeã da Copa da Itália, para definir o campeão deste ano.   

Foto: Divulgação / Lega Serie A

A partida será disputada na Arábia Saudita pela segunda temporada consecutiva, após um acordo firmado entre a Lega Serie A e a General Sports Authority (GSA), que rege o futebol saudita, em junho do ano passado. O Estádio King Saud University, em Riad, receberá o evento, que foi realizado na cidade de Jeddah na temporada passada.

Vale ressaltar que a liga italiana tem sido criticada por levar o jogo para a Arábia Saudita, principalmente pela BeIN Sports, que alertou que enfrenta a perda de £ 390 milhões com direitos de transmissão no Reino Unido por conta da pirataria de sinal de algumas das principais competições do futebol mundial por parte da emissora saudita BeoutQ.

Em junho deste ano, a Lega Serie A chegou a cogitar a possibilidade de tirar o torneio da Arábia Saudita, mas não levou a história adiante. Dois meses depois, em agosto, sete grandes entidades ligadas ao futebol (Fifa, Uefa, AFC, Bundesliga, LaLiga, Premier League e a própria Serie A) se uniram para cobrar do governo saudita uma resolução para que o sinal da emissora BeoutQ fosse bloqueado. Até agora, no entanto, nada foi feito.