Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Coca faz torneio, mas foca entretenimento

Guilherme Costa em em Johanesburgo (África do Sul) Publicado em 20/06/2010, às 15h49

Imagem Coca faz torneio, mas foca entretenimento

A semelhança começa no cerimonial. Jogadores entram em campo perfilados, cantam os hinos nacionais de seus países, trocam fl"mulas e cumprimentam o quarteto de árbitros como acontece em uma partida profissional. A decisão de um torneio que integra o Coca-Cola camp, acampamento promovido pela empresa de bebidas na África do Sul, é uma versão reduzida de um confronto entre adultos. É por isso que a subsidiária brasileira da companhia não quis participar.

O acampamento da Coca teve delegações de 19 países neste ano. Os grupos se dividiram entre os que disputaram o torneio, os que viajaram à África do Sul apenas para terem clínicas e aprenderem futebol e os que buscaram recreação, caso dos brasileiros.

A delegação brasileira foi formada pelas representantes locais da Coca-Cola, e cada uma dessas empresas utilizou metodologia própria para escolher os garotos. Os processos variaram entre frases mais criativas, sorteios e até desempenho em cursos de vendas.

Os garotos (e duas garotas) selecionados viajaram para a África do Sul a convite da Coca-Cola. Eles ficaram concentrados na Universidade de Pretória, participaram de uma série de atividades no acampamento e ainda foram ao estádio para ver a vitória do Uruguai por 3 a 0 sobre a África do Sul.

Do comportamento ao nível técnico geral, a delegação brasileira deixa claro que busca apenas diversão no acampamento. A realidade é bem diferente do que acontece com outros países. Dois dos exemplos mais claros de foco no desempenho foram dados por México e Rússia, que disputaram a decisão do torneio.

O acampamento da Coca-Cola começou em 2006, na Alemanha. Depois disso, houve duas edições no Brasil (2007 e 2008). A ideia desse projeto é proporcionar a garotos de todo o mundo uma experiência baseada no futebol.

“Esse é um projeto que fala de futebol, mas que tem como grande diferencial a questão da experiência. O que nós queremos é que os garotos vivenciem algo especial”, afirmou Francesca Aguilar, gerente de projetos da companhia.