COI estuda dar sedes de 2024 e 2028 a Los Angeles e Paris

Los Angeles Stadium, estádio para 2024 

Para evitar o desgaste de uma debandada geral de candidaturas aos Jogos Olímpicos de Verão, o COI (Comitê Olímpico Internacional) deve decidir, no próximo dia 9 de junho, outorgar diretamente as sedes de 2024 e 2028 a Los Angeles e Paris.

As duas cidades foram as que sobraram na disputa pelo direito de abrigar a Olimpíada de 2024. Diante do fracasso que tem sido o processo de escolha para os Jogos de Verão, a ideia é já garantir a sede das próximas duas edições.

No atual processo, o COI viu as desistências sucessivas de Boston, Hamburgo, Roma e Budapeste. A cidade do Estado de Massachusetts acabou substituída por Los Angeles. Todas abriram mão da candidatura por conta dos altos gastos envolvidos com o evento.

A cidade alemã chegou a promover um plebiscito para decidir sobre o assunto. A maioria da população rejeitou sediar a Olimpíada. Preocupada com a rejeição de 70% dos romanos, a prefeita Virginia Raggi também recusou continuar no pleito tão logo assumiu o cargo.

Processo semelhante já havia acontecido na eleição dos Jogos de Inverno de 2022, quando Oslo, Estocolmo, Cracóvia e Lviv desistiram da corrida. Pequim bateu Almaty na eleição.

Sede da última Olimpíada, no ano passado, o Comitê Organizador do Rio de Janeiro acumula dívida de R$ 132 milhões com fornecedores. Agora, o COI busca que as três esferas governamentais arquem com o prejuízo, como estava estabelecido na carta de candidatura carioca.

Vista do Parque Olímpico para Paris 2024

Os custos estratosféricos, que em Pequim 2008 chegaram a US$ 43 bilhões, têm afastados os países da ideia de se candidatar ao megaevento. Para amenizar a situação, o comitê aprovou, no final de 2014, a Agenda 2020, com as diretrizes olímpicas para os próximos anos. Entre as normas divulgadas estava a busca por controle nos gastos.

No entanto, há nove meses, o COI decidiu incluir mais seis esportes nos Jogos, sem retirar nenhuma modalidade do programa atual. Assim, beisebol (masculino), softbol (feminino), surfe, skate, escalada e caratê foram incluídos em Tóquio 2020. Com a necessidade de mais instalações esportivas e vagas na Vila Olímpica, teoricamente, o comitê aumentou ainda mais as despesas com a organização do evento.

Se der essa guinada inédita, a cidade escolhida para 2028 terá inéditos 11 anos para preparar a Olimpíada. A eleição do COI para 2024 está marcada para a Assembleia Geral da entidade, marcada para 13 de setembro, em Lima, no Peru.