Com confusão no C13, América-MG espera crescer

"Não achamos razoável criar movimentos", avalia dirigente

Em meio à confusão que envolve Clube dos 13, Rede Globo e Corinthians, até quem não pertence ao grupo de equipes da entidade está atento a oportunidades. Apenas na primeira divisão, Ceará, Avaí, Figueirense, Atlético-GO e América-MG não estão entre os vinte clubes do Clube dos 13, e o último ainda acabou de chegar da Série B.

Quando o assunto é venda de direitos televisivos, portanto, há um abismo entre integrantes do Clube dos 13 e o América-MG. A título de comparação, equipes como Coritiba, Sport, Portuguesa e Bahia receberam R$ 11 milhões em 2010, valor correspondente à cota paga pela entidade pelas transmissões na televisão aberta.

O América-MG, por sua vez, arrecadou em torno de R$ 1 milhão com comercialização de direitos televisivos em 2010, embora todos os clubes citados estivessem na segunda divisão do Campeonato Brasileiro, bem como o time mineiro. Diante desse cenário, a direção da equipe está atenta ao atual cenário nacional.

A princípio, o clube prefere silenciar e apenas acompanhar o desenrolar do embate entre Corinthians e Clube dos 13, mas deve se manifestar caso a situação se mostre favorável. A criação de uma liga nacional, por exemplo, ou a inclusão de novas equipes na entidade atual, poderiam ampliar as receitas da equipe mineira.

"Nós temos bom relacionamento com todos os clubes, bom tr"nsito, e não achamos razoável sair criando movimentos, participando daqui ou dali, porque a coisa está muito embrionária", avalia Olímpio Naves, responsável pelo departamento de marketing do time, à Máquina do Esporte. "Evidentemente, no decorrer, veremos a conveniência".

Por enquanto, a direção da equipe se incumbiu de reunir informações sobre o desempenho do clube em índices de audiência. Ainda não há números definitivos, mas avaliações preliminares apontam melhor performance em jogos pay-per-view, às vezes superiores aos rivais Cruzeiro e Atlético-MG, segundo o dirigente do clube.

"Estamos nos preparando para ser um dos 15 maiores clubes do país, não só em classificação na tabela, mas em estrutura, arrecadação, administração, formação de jogadores, entre outras coisas", projeta Naves. Ainda não se sabe qual será o desfecho do impasse entre elite e Clube dos 13, mas o América-MG está de olho.

Leia mais:

Após romper com C13, cariocas analisam mercado