Com contrato provisório, Atlético-GO espera acertar máster

O Atlético Goianiense tem jogado com a marca da Cimento Tocantins na peito desde julho deste ano. No entanto, o primeiro contrato assinado era de apenas um mês. O clube, por outro lado, almeja um acordo de longo prazo, o que ainda não foi acertado. Agora, a direção atleticana espera resolver o as diferenças nos próximos dez dias.

O que foi acordado, o contrato de apenas um mês de duração, se devia à relut"ncia da empresa em assinar um acordo válido até o fim do próximo ano. O clube, sem patrocínio máster, e a Cimento Tocantins, interessada na exposição da Série A, resolveram manter a negociação com um acordo que valesse imediatamente.

Nessa situação, o primeiro contrato foi assinado. Após um mês, nenhum acordo em longo prazo havia sido estabelecido, e o clube chegou a jogar com a marca no uniforme gratuitamente. Como ainda havia interesse de ambas as partes, um novo contrato foi assinado, idêntico ao anterior, para mais um mês de patrocínio.

Com o novo período chegando ao fim, o clube espera finalmente chegar a um acordo definitivo, que seria válido até dezembro de 2012. Um fator primordial para essa decisão da empresa é o momento vivido pelo time, garante o presidente do Atlético Goianiense, Valdivino de Oliveira. “Hoje, precisamos de apenas 17 pontos em 19 jogos. É um cenário bem otimista para a nossa permanência na Séria A”, afirmou.

Se o cenário for mesmo de uma terceira Série A seguida, o Atlético Goianiense deve mesmo fechar um acordo financeiramente mais interessante, e por um período maior, como a direção do clube deseja.

Hoje, o presidente do Atlético comemora a evolução financeira do clube após duas temporadas na Série A. “No ano passado, foi bem complicado. Este ano já tivemos mais facilidades. Com o novo patrocínio, mais o contrato de televisão, temos a expectativa de ter um 2012 mais confortável”, afirmou.