Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Com gasto "enxuto", Itália abrigará Jogos de Inverno de 2026

COI escolheu sede dupla na Itália e disse que 90% das instalações já estão prontas

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 24/06/2019, às 16h47

Imagem Com gasto "enxuto", Itália abrigará Jogos de Inverno de 2026

A preocupação com o legado olímpico ganhou novos capítulos nesta segunda-feira (24), durante a escolha da sede dos Jogos de Inverno de 2026. O Comitê Olímpico Internacional (COI) decidiu que a competição será disputada em Milão e Cortina d'Ampezzo, na Itália, entre 6 e 22 de fevereiro.

A candidatura italiana derrotou a sueca, formada por Estocolmo e Are, por 47 votos a 34. As duas postulantes foram as únicas que restaram na lista de pretendentes, depois de as populações de Suíça, Turquia, Áustria e Canadá rejeitarem por meio de plebiscitos as candidaturas de suas cidades a serem sedes dos Jogos.

O COI acenou com uma ajuda de US$ 930 milhões para a cidade vencedora montar sua estrutura para o evento. Além disso, o comitê escolheu o projeto italiano porque 90% das instalações já estão prontas, sendo necessário menor investimento em construção.

A ideia do COI é evitar gastos exorbitantes na organização do evento. As últimas edições de Jogos Olímpicos, tanto de Verão quanto de Inverno, passaram dos US$ 20 bilhões, gerando muitas críticas e um pesado legado financeiro para as cidades-sedes.

Com a escolha italiana, os Jogos de Inverno voltarão a ser no país após 20 anos. Turim, em 2006, abrigou o evento, que depois foi para Canadá (Vancouver 2010), Rússia (Sochi 2014) e Coreia do Sul (PyeongChang 2018). Em 2022, Pequim, na China, receberá a competição. 

O vídeo abaixo mostra como foi o anúncio da escolha da candidatura italiana: