Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Com Neymar, Palpiteros lança "Facebook" do futebol

Empresas poderão ter páginas gratuitamente para se relacionar com fãs

Rodrigo Capelo em São Paulo - SP Publicado em 26/03/2012, às 17h15

Imagem Com Neymar, Palpiteros lança "Facebook" do futebol
Empresas poderão ter páginas gratuitamente para se relacionar com fãs

Empresas poderão ter páginas gratuitamente para se relacionar com fãs

Fãs de futebol ganharam na manhã desta segunda-feira uma nova alternativa de entretenimento na internet. A rede social Palpiteros foi lançada para unir torcedores e aproximá-los de empresas, clubes, atletas, meios de comunicação, entre outros, em um projeto que se assemelha muito à filosofia seguida por Mark Zuckerberg para manter o Facebook, uma das maiores redes do mundo atualmente.

Na página principal, os internautas terão acesso a informações de jogos em andamento, como textos de minuto em minuto com os principais lances, e a oportunidade de prever o resultado das partidas, em uma espécie de bolão. Após o fim do duelo, há a possibilidade de dar notas a todos os jogadores, técnicos e árbitros envolvidos, e novamente essa interação dá pontos aos participantes.

Assim, o maior objetivo é aproveitar do potencial do alcance do futebol no Brasil para gerar discussões e disputas entre os torcedores. A etapa seguinte, então, é oferecer a empresas gratuitamente a chance de criar uma página na rede, como faz o Facebook. Com esse espaço dentro do Palpiteros, qualquer companhia pode criar promoções, definir rankings e premiar determinados usuários.

O Palpiteros foi inaugurado já com cinco patrocinadores: Netshoes, Toddy, Nissan, Torcida e Antarctica. Essas empresas adquiriram cotas que dão direito a exposição de marca em determinadas propriedades espalhadas pelo site; bloqueio de segmento, isto é, concorrentes não poderão criar páginas para interagir com os internautas; entre outras possibilidades adicionais de relacionamento.

"Por causa da Copa do Mundo de 2014, todas as marcas, e não são poucas, estão pensando desde o planejamento em como elas irão se aproximar do futebol", analisa Eduardo Ruschel, idealizador do projeto que deixou a Penalty após quatro anos de atuação para fundar a rede. "As marcas têm que pensar em como gerar engajamento, e por isso nós somos uma super ferramenta".

Todo o projeto, na verdade, depende da base de torcedores que o Palpiteros irá conseguir, e as metas são ambiciosas. Até o fim de 2012, pretende-se adquirir seis milhões de usuários - dez milhões até a Copa das Confederações, em 2013, e 30 milhões até a Copa de 2014. Esses números, para Ruschel, são bastante realistas, e o site terá o apoio de Neymar como "embaixador" para alcançá-los.