Com novo foco, Umbro admite perda do Santos

"Nós chegamos ao limite do orçamento", lamenta diretor da Umbro

Apesar de ser a fornecedora de materiais esportivos que irá vestir o Santos no Mundial de Clubes da Fifa, a Umbro já resignou da equipe alvinegra nos bastidores. Dentre as razões por ter desistido do atual parceiro, estão orçamento limitado, relação arranhada com a cúpula santista e pertencer, em nível global, à Nike, nova fornecedora.

"O mercado ficou muito caro, porque inflacionou por causa da Copa do Mundo. Nós chegamos ao limite do orçamento, mas a Nike é detentora da Umbro, e eles têm uma realidade diferente. Faz parte. A Nike fará um trabalho belíssimo, e nós vamos buscar outras frentes para a marca", explica Sylvio Teixeira, diretor da Umbro no Brasil.

O caminho encontrado pela marca para sobreviver no mercado brasileiro foi se concentrar nas regiões Norte e Nordeste, nas quais se tornou fornecedora do Remo, do Pará, e de quase todas as federações nordestinas. A Umbro, então, passa a concorrer mais diretamente com a Penalty, quem detinha maior participação nessa área.

O acordo assinado pelo Santos com a Nike é válido até 2015 e será oficializado após a disputa do Mundial, neste mês, segundo antecipou a Máquina do Esporte. O clube faz parte da nova estratégia da companhia no Brasil. Em função da Copa de 2014, ela pretende ter equipes nas principais cidades-sede, como Corinthians e Internacional.

Parceira do time da Baixada Santista desde 1997, a Umbro perde a oportunidade de estar ao lado do clube justamente no ano do centenário. A empresa pertence à Nike em nível mundial, mas no Brasil é gerenciada pelo Grupo Dass. A parceria era uma das mais antigas do país, atrás apenas de Fluminense e Adidas, desde 1996.

Leia mais:

Com Remo e federações, Umbro muda foco