Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Com torneios, Caixa inicia renovações de patrocínio no futebol

Banco deverá iniciar conversa com clubes nos próximos dias

Duda Lopes - São Paulo (SP) Publicado em 11/02/2015, às 07h04 - Atualizado às 09h04

Imagem Com torneios, Caixa inicia renovações de patrocínio no futebol

A Caixa Econômica Federal decidiu permanecer no futebol e começou o processo de renovações por torneios patrocinados pela empresa estatal. Para este ano, a Copa Verde, a Copa do Nordeste, o Campeonato Baiano e o Campeonato Goiano já contam com um novo acordo envolvendo a empresa.

A decisão foi tomada em reunião envolvendo a cúpula do banco na última semana. Ainda assim, não foram definidas as estratégias que serão tomadas pelo marketing da Caixa. A discussão envolveu essencialmente a manutenção de presença da marca no futebol brasileiro.

Nos últimos anos, a empresa se tornou a maior investidora de clubes brasileiros; foram cerca de R$ 100 milhões em patrocínios da Caixa. Além dos times, a companhia também esteve presente nos torneios, já renovados, e no futebol feminino.

A manutenção do posicionamento da Caixa não significa, no entanto, que os clubes terão garantia de renovação de patrocínio. A empresa deverá ainda fechar uma estratégia para isso e só então negociar com os times. Graças a essa indefinição, o banco preferiu não divulgar o quanto será investido no futebol em 2015.

Algumas mudanças poderão ser realizadas, até pela série de propostas que a Caixa tem recebido de diversos clubes. O Cruzeiro, por exemplo, já admitiu publicamente que tem acordo firmado com o banco, mas que a instituição esperava as definições internas para assinar o contrato.

Entre os clubes da Série A, a maioria tem contrato até o meio deste ano, caso de Flamengo e Sport, por exemplo. Há duas situações que são mais urgentes. No Corinthians, o acordo venceu no fim de janeiro. No Vasco, a Caixa não pôde depositar parte da verba de patrocínio por falta da apresentação de certidão negativa de débito.

Ainda que as negociações com os clubes não tenham sido iniciadas, a decisão da Caixa alivia as equipes que contam com o apoio da marca. No último ano, houve indefinição da presença do banco graças às eleições presidenciais.

Com a reeleição da presidenta Dilma Rousseff e a manutenção do comando de Jorge Fontes Hereda na estatal, as renovações ficaram mais próximas, ainda que na última terça-feira (10) tenha vazado informações de troca de comando na companhia. Especula-se que a ex-Ministra do Planejamento Miriam Belchior assuma o posto, o que, aparentemente, não deve atrapalhar os planos dos cartolas brasileiros.