Corinthians abre vantagem sobre São Paulo em renda

Corintianos perderam jogo, mas abriram larga vantagem nas bilheterias

Corintianos perderam jogo, mas abriram larga vantagem nas bilheterias

Apesar de ter sido derrotado pelo Botafogo na última quarta-feira (12), e tal resultado o fez continuar muito próximo de adversários na liderança do Campeonato Brasileiro, o Corinthians conseguiu se consolidar como time que mais lucra com bilheterias. Os alvinegros puderam se distanciar do São Paulo, segundo lugar nesse quesito no torneio.

O Corinthians levou 32.450 torcedores ao Pacaembu na noite de quarta, e esse público o possibilitou lucrar R$ 747 mil, quando já descontadas despesas e taxas da receita bruta. Com esse desempenho, os alvinegros atingiram receita líquida de R$ 9,4 milhões em toda a competição nacional, com 15 jogos disputados como mandante.

O São Paulo, por sua vez, conseguiu R$ 334 mil no empate com o Internacional, realizado na Arena Barueri, no interior de São Paulo, com 24.470 pagantes. Esse resultado interrompe sequência de bilheterias bastante acima da média obtida pela equipe tricolor recentemente. O total, também em 15 partidas em casa, é de R$ 7,8 milhões.

Na última rodada, os são-paulinos tinham condições favoráveis em relação ao Corinthians. Embora tenha ido jogar em Barueri, em função de o Morumbi estar reservado para a exibição do show de Eric Clapton, o time tricolor havia conseguido que a CBF adiantasse a partida para as 16h de quarta, feriado nacional, para ter mais público.

Recentemente, o São Paulo tem se beneficiado de efemeridades para atingir números nas bilheterias raros até para o adversário alvinegro. Na estreia de Luis Fabiano, no início deste mês, foram R$ 2,1 milhões lucrados em apenas um jogo, recorde nacional. Em setembro, o milésimo jogo de Rogério Ceni também havia rendido ápice.

O levantamento feito pela Máquina do Esporte levou em consideração todas as partidas de Campeonato Brasileiro, Copa Kia do Brasil e Estaduais - em relação ao último, apenas jogos dos 20 membros da primeira divisão foram registrados. Os números são fornecidos pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em boletins financeiros.