Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Corinthians reforça foco da Hypermarcas

Corinthians reforça foco da Hypermarcas

Guilherme Costa em São Paulo - SP Publicado em 02/02/2010, às 12h00

Ao contrário da temporada passada, quando teve de rivalizar com Batavo (cota máster) e as empresas do grupo Sílvio Santos (Telesena e Baú nos ombros, banco Panamericano na barra), a Hypermarcas é a única patrocinadora da camisa do Corinthians em 2010. No entanto, a exclusividade não levou a companhia a limpar o uniforme e aumentar o destaque de suas marcas. Ao contrário, a parceira alvinegra inseriu mais dois produtos no clube (além de Bozzano e Avanço, que já estavam nos ombros e axilas, a equipe do Parque São Jorge divulgará o laboratório de genéricos Neo Química e o detergente Assim neste ano). Essa estratégia revela o foco da empresa fundada pelo goiano João Alves de Queiroz Filho. Fundado há nove anos, o grupo Hypermarcas começou com a lã de aço Assolan. Após um primeiro ano de operação com faturamento de R$ 30 milhões, a empresa chegou aos R$ 3,5 bilhões em 2009. Tudo graças a um mix de aquisições e investimento em mídia de massa. No total, a Hypermarcas fez 20 aquisições e desembolsou R$ 5 bilhões nesses negócios. O mais recente foi a compra do laboratório Neo Química, fechada no ano passado, que fez o grupo investir R$ 1,3 bilhão e colocou a companhia no segmento de genéricos. A aposta da Hypermarcas é o crescimento específico do segmento de genéricos. A área responde por um faturamento anual de R$ 4,5 bilhões no mercado farmacêutico, que gera um total de R$ 30 bilhões. No entanto, o crescimento total é de 15%, e os medicamentos genéricos avançam 25% em média a cada ano. ?E nesse cenário positivo, a Neo Química está entre as empresas que mais cresceram. Vamos lançar muitos produtos neste ano, e por isso precisávamos de um espaço de mídia para aumentar o reconhecimento da marca?, explicou o diretor de marketing do grupo, Walker Lahmann, na entrevista coletiva de apresentação do patrocínio ao Corinthians. A despeito de ter reforçado seguidas vezes no evento a intenção de participar do dia-a-dia do clube e os planos para ativar o patrocínio, o grande foco da Hypermarcas no Corinthians é exposição. Sobretudo para a Neo Química, que tenta se consolidar como referência em um mercado com retrospecto recente positivo. A lógica também vale para explicar a grande quantidade de marcas no uniforme alvinegro em 2010. Como comprou todas as propriedades, a Hypermarcas podia ?limpar? o restante da camisa e dar destaque apenas à Neo Química. Contudo, preferiu utilizar o poder de mídia do Corinthians na temporada em que o clube completa cem anos de fundação. A manutenção da camisa loteada também pode ser explicada pelos resultados da temporada passada. A Hypermarcas não divulga resultados, mas pesquisas feitas pela companhia apontaram números favoráveis de espaço na mídia e de retorno do público, que ficou feliz por saber que empresas do grupo estavam na camisa do Corinthians. A Hypermarcas controla 170 empresas e quatro mil produtos. O extenso portfólio e o grande número de empresas na camisa do Corinthians gerou até situações inusitadas. Em toda a coletiva de apresentação do patrocínio, por exemplo, o detergente Assim só foi citado em uma pergunta sobre a marca. Além disso, nas referências a todos os parceiros do clube do Parque São Jorge em 2010, só uma vez o artefato foi lembrado.