Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Crise pode tirar Kawasaki da MotoGP

Crise pode tirar Kawasaki da MotoGP

Redação em São Paulo - SP Publicado em 08/01/2009, às 16h00

A crise financeira global está prestes a fazer mais uma vítima no mundo dos esportes a motor. Nesta quarta-feira, a Kawasaki admitiu a possibilidade de abandonar a MotoGP neste ano, seguindo o caminho trilhado pela Honda na Fórmula 1 e por Subaru e Suzuki no Campeonato Mundial de Rali (WRC). De acordo com a ?France Presse?, a fábrica analisa se compensará deixar a categoria máxima do motociclismo após já ter investido muito dinheiro no projeto de 2009. Uma fonte anônima teria confirmado à agência que o abandono da temporada ?está sendo discutido, mas ainda não tomamos nenhuma decisão?. Os rumores também ganharam força após as declarações de Jorge Martinez, chefe da equipe Aspar, afirmando ter oferecido ajuda aos japoneses. O dirigente quer ter um time no certame principal do Mundial de Motociclismo, mas quer as duas motos da Kawasaki por um período inicial de três anos. ?Ofereci ajuda para a Kawasaki, mas preciso de uma oferta detalhada. Quero deixar claro que não estou interessado em um projeto limitado apenas a 2009. Quero um programa de, pelo menos, três anos?, disse Martinez. A Aspar esteve perto de se tornar equipe satélite da montadora japonesa neste ano, mas as conversas foram interrompidas pela exigência de um piloto espanhol por parte da patrocinadora principal do time, a financeira espanhola Bancaja. O detentor dos direitos comerciais da categoria, Carmelo Ezpeleta, afirmou à italiana ?Motorsprint? que ainda não foi comunicado oficialmente da saída da Kawasaki, mas que tentará adiar o abandono. ?Primeiro de tudo, temos de lidar com a situação da Kawasaki. Eles têm contrato com a Dorna (empresa que controla comercialmente a categoria) e está compromissada a participar do campeonato pelo menos até 2011?, avaliou o dirigente. ?Logicamente, a partir do momento em que a Kawasaki me informar sobre o assunto, terei várias conversas com eles: trarei o acordo que assinamos, tentarei demovê-los da ideia (de deixar a categoria) e então pedirei que eles adiem o abandono?, continuou Ezpeleta. ?Não estou preocupado, porque sei como lidar com o baque. Se em 2009 e 2010 conseguirmos manter o espetáculo oferecido pela MotoGP até agora, então sairemos fortes disso?.