Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

DAZN quer mudar acordo da Champions no Sudeste Asiático

Serviço de streaming obteve direitos em 2018, mas não chegou a colocar em prática

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 30/07/2020, às 11h55

Imagem DAZN quer mudar acordo da Champions no Sudeste Asiático

O serviço de streaming DAZN está em negociações com a Uefa para mudar o acordo fechado pelos direitos de transmissão da Champions League no Sudeste Asiático. A ideia da plataforma é encerrar o contrato um ano antes pelo fato dele nunca ter sido colocado em prática e apenas onerado o serviço financeiramente. As informações são do site britânico SportsPro Media.

O DAZN adquiriu os direitos da principal competição entre clubes do mundo antes da temporada 2018/2019 para nove países da região: Brunei, Camboja, Filipinas, Laos, Malásia, Singapura, Tailândia e Taiwan, além do Japão. O objetivo era lançar o serviço em todos esses países e, assim, exibir a competição. No entanto, dois anos se passaram e a ideia não saiu do papel. Atualmente, o DAZN está em nove mercados, sendo apenas o Japão na Ásia. Os outros são Alemanha, Áustria, Brasil, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Itália e Suíça.

Foto: Reprodução

O acordo ainda inclui a temporada 2020/2021 e é justamente isso que o DAZN quer modificar, segundo o SportsPro Media. A ideia é romper o contrato de forma amigável para não ter que desembolsar uma quantia "de graça", uma vez que a competição permanecerá sem ser transmitida no serviço de streaming em oito dos nove países asiáticos envolvidos. Nestes mercados, os torcedores puderam acompanhar os jogos no Facebook, no YouTube e no Goal.com, portal especializado em futebol que faz parte do portfólio do DAZN.

Recentemente, os planos de expansão da plataforma foram fortemente impactados pela pandemia do coronavírus, que fez com que a base de assinantes do serviço caísse drasticamente. A empresa foi obrigada, então, a adotar uma estratégia de realinhamento que teve os efeitos sentidos até no Brasil, com a interrupção das transmissões da Serie A italiana no mercado nacional.