Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

De saída, Medial "celebra" Ronaldo

De saída, Medial "celebra" Ronaldo

Guilherme Costa e Priscila Bertozzi em São Paulo - SP Publicado em 12/12/2008, às 18h00

Entre todos os rostos, símbolos e marcas presentes na apresentação de Ronaldo ao Corinthians nesta sexta-feira, poucos tinham tanto a comemorar quanto a Medial Saúde. A empresa foi presenteada com a visibilidade gerada pelo atacante a menos de 20 dias do encerramento do contrato com o clube. Ronaldo concedeu entrevista coletiva vestido com a camisa da temporada de 2008, que tem a marca do plano de saúde estampada no peito. Atrás dele, o backdrop também mostrava o logo da Medial para a imprensa de todo o mundo. Equipes de TV italianas, espanholas, árabes, entre outras nacionalidades, estavam no Parque São Jorge para o evento. "O Ronaldo conseguiu levar a Medial para a esfera internacional. E isso aconteceu em um mês habitualmente morno, já que o time está de férias e não joga. A marca não apareceria na TV se não fosse por ele. E caso alguma emissora decidisse exibir o VT de alguma partida, isso aconteceria nos canais fechados. Hoje não. Ele apareceu em rede nacional com a marca da empresa no peito", afirma Rafael Plastina, diretor da Informídia Pesquisas Esportivas. Desde que se aliou ao Corinthians, em dezembro do ano passado, a Medial só cresceu. Nos primeiros nove meses do ano, o número de clientes aumentou 5,2% em relação ao mesmo período em 2007, passando de 1.358,2 para 1.428,2 beneficiários. A receita total da empresa ascendeu de R$ 1,1 milhão para R$ 1,4 milhão entre setembro de 2007 e setembro de 2008, num total de 22,4%. O lucro subiu 55,6%, saindo de R$ 40,8 milhões para R$ 63,5 milhões. O balanço do último trimestre, que incluirá a chegada de Ronaldo ao clube paulista, só será divulgado em janeiro do ano que vem, mas a estimativa é de que, proporcionalmente, o crescimento seja maior do que em todo o período de vigência do acordo. ?Certamente, será o melhor mês de dezembro da história da Medial. É impossível mensurar ainda o retorno disso. A boa campanha na Série B gerou bons resultados durante todo o ano, mas o Ronaldo fará com que a empresa supere seus próprios números?, avalia Plastina. Nos bastidores do clube, a informação é de que a antecipação do término do contrato com a Medial poderia gerar mais dividendos. Assim, o Corinthians teria assinado com outra empresa apenas para a apresentação do jogador por valores elevados. A proposta, no entanto, foi prontamente rejeitada pela diretoria. "Temos um contrato em vigência, a 20 dias do término, e não fazia sentido encerrá-lo antes. Isso serve para mostrar como a nossa diretoria trabalha. Nós honramos o que acertamos", destaca Luís Paulo Rosemberg, diretor de marketing corintiano. Caio Campos, que gerencia o departamento, seguiu a mesma linha: "A Medial foi parceira. Eles apoiaram o Corinthians quando estávamos em uma situação complicada, com uma proposta altíssima e um sentido de aliados mesmo. Não podíamos fechar os olhos para isso agora". A Medial, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou à Máquina do Esporte que não pode fazer nenhuma relação direta entre o crescimento da empresa e o patrocínio ao Corinthians. No entanto, espera que a exposição ?inesperada? gerada pela contratação de Ronaldo, tão próximo do fim da parceria, tenha impacto no balanço anual que será divulgado em 2009. Os executivos da empresa também foram procurados, mas não puderam atender à reportagem porque estavam participando de um encontro de gestores promovido pela Medial. Corinthians e Medial fecharam o maior contrato de patrocínio de camisa do Brasil no fim do ano passado, logo após o rebaixamento do clube para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. O acordo rendeu R$ 16,5 milhões aos cofres corintianos ao longo da temporada. Há menos de um mês, porém, a empresa informou que teria de rever seus investimentos devido à crise global e anunciou que não permaneceria no posto de patrocinadora principal do Corinthians em 2009. O contrato se encerra no fim de dezembro.