Derrota dá dimensão humana a mito Djokovic

Del Potro consola Djokovic após vencer o sérvio

Mesmo em uma carreira vitoriosa, algumas derrotas podem ser muito dolorosas. E neste domingo (dia 7), o maior tenista da atualidade, Novak Djokovic experimentou uma delas. Pela segunda vez.

O sérvio, número um do ranking mundial e uma das principais esperanças de medalha de seu país, acabou derrotado logo na estreia do torneio olímpico de tênis. Diante de Juan Martin del Potro, Djokovic perdeu por 2 sets a 0, com um duplo 7/6.

“Sem dúvida, esta é uma das derrotas mais difíceis da minha vida e da minha carreira. Não é fácil de aceitar, especialmente agora, quando as marcas [da derrota] ainda estão fortes. Mas você tem que lidar com isso. E não é a primeira nem será a última vez que eu vou perder uma partida de tênis. Mas nos Jogos Olímpicos é completamente diferente”, afirmou o tenista, que, até então na temporada, havia sido vencido em apenas 4 de  51 jogos.

Não bastasse isso, a derrota já na estreia marcou uma incrível coincidência olímpica para Djokovic. Em Londres 2012, o sérvio perdeu justamente para Del Potro a disputa pelo bronze olímpico na grama sagrada de Wimbledon. Agora, o novo revés veio em quadra dura.

A dor da derrota logo no início revelou a dimensão humana de um mito da modalidade. Djokovic deixou a quadra aos prantos, sendo amparado pelo rival e amigo.

“Estou muito triste e decepcionado por deixar um torneio tão cedo. Mas, por outro lado, estou feliz por ver um bom amigo, e alguém que tem lutado nos últimos dois anos contra lesões, esteja de volta e jogando tênis em alto nível”, destacou o sérvio, que se surpreendeu com o carinho da torcida brasileira.

“Sinceramente, não sei como agradecê-los. Esse tipo de ambiente senti poucas vezes na minha vida, a maioria das vezes quando estou no meu país. Senti como se estivesse no meu país. Me senti como um brasileiro”, afirmou.  

Durante o jogo, até Del Potro chegou a aplaudir o adversário, que contou com a preferência do público. “Ele é um grande campeão e um amigo há muito tempo. Sei o quanto era importante este torneio para ele. Ele queria a medalha de ouro, mas creio que ele sabe do meu esforço. Foi um jogo espetacular sob qualquer ponto de vista”, contou Del Potro, que disse ter recebido o apoio de Djokovic no período em que se recuperava de seguidas lesões.

Djokovic ainda terá a chance de se redimir em quadras brasileiras. O sérvio estreia no torneio de duplas jogando com Nenad Zimonjic. Dessa vez, porém, não deve contar com o mesmo apoio da torcida, já que seus adversários nesta segunda-feira (dia 8) serão os brasileiros Bruno Soares e Marcelo Melo.