Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Dívida separa Vasco da Eletrobrás

Dívida separa Vasco da Eletrobrás

Gustavo Franceschini em São Paulo - SP Publicado em 10/12/2008, às 18h00

A negociação entre Vasco e Eletrobrás, que começou em outubro, pode estar perto do fim. Nesta quarta-feira, José Antonio Muniz, presidente da estatal, declarou, durante sessão da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), que fez uma proposta de R$ 14 milhões por cada um dos quatro anos de contrato para o clube, que depende da quitação de uma dívida de um ano com o poder público para fechar o acordo. A situação é semelhante àquela que viveu o Flamengo no início do segundo semestre, quando deixou de receber mensalidades da Petrobras. Endividado com a Prefeitura do Rio de Janeiro, o clube precisava, entre outras coisas, da quitação do débito para voltar a receber cerca de R$ 1,6 milhão por mês. ?É uma notícia animadora para todos. O clube agora tem de apresentar uma documentação pertinente à negociação com uma estatal. É assim que vamos proceder daqui em diante?, disse José Henrique Coelho, vice-presidente de marketing do Vasco, em entrevista exclusiva à Máquina do Esporte. O Vasco não divulga, no entanto, o tamanho do problema que tem em mãos. O levantamento das dívidas públicas deixadas pela gestão Eurico Miranda desde meados de 2007 já foi feito por Luiz Américo, vice-presidente jurídico do clube. O dirigente diz que não tem permissão para divulgar valores, mas diz que é possível superar a situação. ?Já está tudo catalogado aqui, mas eu não tenho permissão para liberar essa informação. O que eu posso dizer é que só estávamos esperando o posicionamento da Eletrobrás para fazer o pagamento, que é viável, mas com muito esforço?, disse o dirigente. Em outubro de 2007, os clubes brasileiros entregaram os documentos de reconhecimento de suas dívidas para o Ministério do Esporte, que parcelou os débitos com a Caixa Econômica Federal em troca da participação na Timemania e a liberação de uma certidão negativa de débito. Depois disso, porém, a administração Eurico Miranda teria acumulado mais dívidas, que invalidam o documento obtido no ano passado. Ainda segundo José Henrique Coelho, a MRV, atual patrocinador do uniforme cruzmaltino, já foi avisada do acordo, que deve entrar em vigor logo após o fim do atual, que se encerra em 31 de dezembro. Dos R$ 14 milhões, cerca de R$ 1,8 milhões serão destinados aos esportes olímpicos e paraolímpicos. Caso seja realmente fechado, o acordo entre Vasco e Eletrobrás vai ser o quarto maior do Brasil no momento, atrás de Corinthians (R$ 16,5 mi com a Medial Saúde), Flamengo (R$ 16,2 mi com a Petrobras) e São Paulo (R$ 16 mi com a LG) e logo à frente do Palmeiras (R$ 12 mi com a Fiat).