Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Em adeus, São Paulo bajula e dá até placa a Penalty

Após dois anos de muitas brigas, clube e fornecedora criam pretenso clima de paz na despedida

Erich Beting - São Paulo (SP) Publicado em 29/04/2015, às 10h12

Imagem Em adeus, São Paulo bajula e dá até placa a Penalty

O CEO da Penalty, Paulo Ricardo, reeebe placa de Aidar

Um almoço de confraternização com direito a entrega de placa de agradecimento marcou o término de dois anos de uma conturbada relação entre o São Paulo e a Penalty. Na terça-feira, o presidente do clube paulista, Carlos Miguel Aidar, promoveu um almoço para homenagear a parceira, que nos últimos dois anos colecionou brigas com a diretoria e teve o término do acordo antecipado.

“O São Paulo precisa mostrar gratidão aos seus parceiros para que todos tenham segurança de estar ao lado do clube. O almoço e a placa de homenagem foram formas de registrar isso”, afirmou Aidar ao site oficial do clube.

A placa foi entregue ao CEO da Penalty, Paulo Ricardo Oliveira, no almoço promovido pelo clube.

A declaração e o gesto em nada lembram os dois anos de turbulência que permeou a relação entre as partes. Em 2013, ainda no primeiro ano de contrato, o São Paulo chegou a notificar o parceiro por atraso no pagamento do contrato. A Penalty chegou a dever R$ 5 milhões.

No ano passado, porém, a relação desandou. No início do mandato de Aidar, em maio, o São Paulo fez uma concorrência para escolher o novo fornecedor. A Puma chegou a ganhar o negócio, mas só iria entrar quando encerrasse o vínculo da Penalty.

E outubro, o clube desistiu de trocar o fornecedor e chegou a anunciar a permanência até dezembro de 2015. Semanas depois, porém, a Penalty anunciou evento para apresentar a camisa de despedida de Rogério Ceni. O atleta, porém, recuou da decisão e criticou a marca publicamente.

LEIA MAIS: São Paulo antecipa apresentação de camisa da Under Armour

Aidar, então, rompeu com a Penalty e fechou com a Under Armour. O acordo gerou conflito com a Puma, que cobra na Justiça o direito de vestir o clube.

Encurralada, a Penalty lançou no último jogo de 2014 a camisa que o time usou nesses primeiros meses, para que não atrapalhasse as vendas e, também, a Under Armour produzisse as novas camisas, que serão usadas a partir do dia próximo 10, no Campeonato Brasileiro e na Copa Libertadores, competições que o time disputa neste primeiro semestre.