Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Em choque com governo, CBF convoca João Dória para Copa América

Opositor de Dilma irá acompanhar seleção em meio à briga sobre Medida Provisória 671

Duda Lopes - São Paulo (SP) Publicado em 05/05/2015, às 08h05 - Atualizado às 11h05

Imagem Em choque com governo, CBF convoca João Dória para Copa América

A Confederação Brasileira de Futebol resolveu inovar no anúncio do chefe de delegação da seleção brasileira durante a Copa América. O jornalista e empresário João Dória Júnior assumirá o posto durante a competição no Chile, neste ano.

Normalmente, o cargo é usado politicamente pela CBF, mas sempre entre pessoas ligadas diretamente ao futebol. Nessa linha, presidentes de clubes e de federações costumam assumir a posição, em sinal de proximidade com a entidade.

A convocação de João Dória acontece justamente em um momento em que a CBF e o governo federal se desentendem nos bastidores. A entidade é contra a Medida Provisória 671, escrita para condicionar a renegociação das dívidas dos clubes. O texto obriga que os times mantenham demonstrações contáveis públicas e se adequem a uma nova realidade financeira, vista com maus olhos pelos dirigentes nacionais.

João Dória, que preside Grupo de Líderes Empresariais (Lide), é publicamente contra o governo de Dilma Rousseff. O jornalista apoiou a candidatura de Aécio Neves em 2014, inclusive com a promoção de eventos entre o então presidenciável e grupos de empresários.

A relação entre CBF e governo federal nunca foi boa no governo Dilma. Durante as preparações para a Copa do Mundo, a presidente sempre fez questão de manter distanciamento com a cúpula da entidade. As razões chegavam até ao relacionamento próximo entre o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, e a Ditadura Militar; Marin foi deputado federal pela Arena.

No fim de 2014, a CBF já havia dado uma sinalização de que permaneceria mais próxima da oposição e mais distante da situação. Marco Polo Del Nero contratou o político Walter Feldman para ser seu braço direito na entidade. Por mais de duas décadas, Feldman foi nome forte do PSDB. Em 2014, ele coordenou a campanha para Marina Silva assumir o Palácio da Alvorada, pelo PSB.