Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Figueirense demite diretor de marketing

Figueirense demite diretor de marketing

Rodrigo Capelo em São Paulo - SP Publicado em 01/06/2010, às 18h00

O Figueirense demitiu, no fim da tarde da última segunda-feira (31), o diretor de marketing Nelson Galvão Júnior, além do gerente de futebol, Erasmo Damiani, e do diretor financeiro, José Chrain. A decisão foi tomada pelo atual presidente, Nestor Lodetti, que já havia pressionado a diretoria no fim da semana anterior, ao cobrar contratações de jogadores mais acertadas. No caso do marketing, a demissão de Galvão Júnior interrompe o planejamento elaborado pelo profissional nos últimos dois meses. O ex-gerente de marketing da Cimed foi contratado no fim de março e almejava dobrar a base de associados ao clube, dos atuais 8,5 mil para 16 mil. "Lançamos a campanha no dia 11 de maio e ela foi elogiada por todos, inclusive pelo presidente, que veio me parabenizar pessoalmente", conta o ex-diretor. "Até ontem [segunda-feira], nossas ações estavam no ar e tudo ia muito bem. Aí me chamaram e comunicaram que estavam encerrando meu contrato para enxugar custos", afirma Galvão Júnior. "Disseram que o trabalho estava muito bom, mas que o momento é de economia e que era preciso cortar gastos". O ex-diretor de marketing enxerga falta de preparo nos dirigentes do Figueirense e diz que o time catarinense tem sérias dificuldades para "encarar a profissionalização". "O Nestor [Lodetti, presidente] não tem muita habilidade administrativa, até porque é advogado e não gestor", avalia. "Disseram que meu estilo de trabalho, transparente com a torcida e com a imprensa, não estava de acordo com o clube". A redução das despesas, na visão do ex-funcionário, fará com que sejam contratados profissionais desqualificados. "Eles querem pagar um terço do que foi combinado comigo", revela. "Por esse valor, irão conseguir pessoas iguais às que encontrei lá: com muita boa vontade, mas em início de carreira e sem nenhum know-how". Agora, segundo informações obtidas por Galvão Júnior, o Figueirense deve dar continuidade ao projeto criado por ele por meio de agências, sob o comando do segundo vice-presidente, Airton Manoel Siri, que ingressou no clube assim que Lodetti foi eleito presidente, em abril. Oficialmente, por meio de sua assessoria de imprensa, o clube afirma que o remanejamento de profissionais é natural em empresas de qualquer natureza e que os departamentos de comunicação e marketing, que são integrados, além do futebol, estão sendo reestruturados financeiramente. Procurados pela Máquina do Esporte, dirigentes do Figueirense não quiseram dar declarações devido à partida desta terça (1º), contra o Asa de Arapiraca, para não desviar o foco do jogo. Nelson Galvão Júnior, por sua vez, deve voltar para São Paulo e trabalhar na criação de uma agência própria.