Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Fim de ano da Copa do Mundo muda patrocínios da CBF

Empresas que fecharam acordo até 2014 negociam renovação

Duda Lopes - São Paulo (SP) Publicado em 09/01/2015, às 08h00 - Atualizado às 10h00

Imagem Fim de ano da Copa do Mundo muda patrocínios da CBF

O ano de 2014 mereceu atenção especial de empresas interessadas na associação com o futebol. Com a Copa do Mundo realizada no Brasil, nunca a CBF foi tão assediada por patrocinadores como no período entre 2007, quando a Fifa anunciou o Mundial no país, e 2014. Após o fim de ano, algumas mudanças devem acontecer.

Como alguns patrocinadores apostaram em um contrato até 2014, esse tem sido um período movimentado entre aqueles que devem decidir permanecer com a seleção brasileira ou retirar o aporte.

A primeira empresa que saiu foi a Volkswagen, com contrato até o fim de Copa do Mundo. Nesse caso, a CBF fechou com um substituto logo em seguida; a entidade acertou um contrato de cinco anos com a Chevrolet.

Após o fim do último ano, mais três empresas ficaram sem contrato vigente com a CBF: Extra, Vivo e Nestlé. A renovação com as três empresas ainda não é garantida. Segunda apuração da Máquina do Esporte, a Vivo e a Nestlé estão em negociação com a confederação. O Grupo Pão de Açúcar afirmou que está em processo de reavaliação do patrocínio à entidade.

No site da CBF, que não também não respondeu às questões, há uma dica: apenas a Vivo aparece entre os patrocinadores. As logomarcas de Nestlé e Extra foram retiradas da página oficial da entidade.

Isso não significa, por outro lado, que a CBF corra risco de uma vazão de patrocinadores pós-Copa do Mundo. Muitos dos contratos assinados foram recentes e com longo prazo de duração. Samsung e Englishtown, por exemplo, fecharam em 2013 acordos válidos até 2018. Depois do Mundial, a seleção brasileira já ganhou outro acordo além da Chevrolet: a Michelin fechou uma parceria de cinco anos.