Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Fim de namoro desvaloriza a marca Cristiano Ronaldo, diz especialista

Astro português, que confirmou término de relação com modelo, teria menos impacto de vida privada na mídia

Adalberto Leister Filho - São Paulo (SP) Publicado em 22/01/2015, às 19h13

Imagem Fim de namoro desvaloriza a marca Cristiano Ronaldo, diz especialista

Cristiano Ronaldo com a Bola de Ouro da Fifa

O fim do namoro de Cristiano Ronaldo com a modelo russa Irina Shayk poderá desvalorizar a marca do atacante, segundo especialistas em mercado. O português viu sua marca subir de € 24,2 milhões em 2011 para € 56 milhões no ano passado.

“CR7 tem valor de marca por si mesmo, mas influi muito a vida pessoal do atleta para o aumento da visibilidade ou não”, analisa Daniel Sá, do Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM), do Porto.

Para o pesquisador, “o fato de ter uma namorada do mundo da moda faz com que ele tenha um impacto financeiro maior que se ela fosse uma desconhecida”.

“[Irina Shayk] tem seus próprios seguidores e visibilidade midiática. Isso acaba por influir um pouco em CR7. O valor da marca é maior quanto maior seja a visibilidade”, analisa o pesquisador português.

LEIA MAIS - 

Universidade canadense cria curso para estudar fenômeno Cristiano Ronaldo

Independentemente disso, o astro do Real Madrid deve ter conquistado mais € 5 milhões ou € 6 milhões com a conquista da Bola de Ouro. Mas uma nova valorização dependerá da vida amorosa do jogador. “É difícil dar uma resposta concreta. Dependerá se terá uma nova namorada ou não, quem será ela, se será alguém com visibilidade midiática ou não”, afirmou o pesquisador.

A turbulenta separação do golfista Tiger Woods, em 2010, após a divulgação de vários casos extraconjugais pesou na desvalorização do nome do norte-americano.

“Houve episódios de conflitos entre a mulher e ele. A imagem de Tiger Woods foi manchada pelos acontecimentos. A imagem dele piorou até o ponto de vários patrocinadores o abandonarem”, analisa Sá.