Fla usa camisa, mas site oficial cresce pouco

Ferramentas de audiência na internet não ratificam otimismo com página

Ferramentas de audiência na internet não ratificam otimismo com página

Desde a saída da Batavo, em dezembro do ano passado, a principal propriedade da camisa do Flamengo segue desocupada. Mesmo com os reforços de Ronaldinho Gaúcho, na imagem, e Traffic, na captação de negócios, o clube ainda não conseguiu preencher o peito do uniforme e segue apostando na chamada para o site oficial.

A efetividade da estratégia, para Harrison Batista, diretor de marketing da equipe carioca, já foi percebida em contagens internas. "Não tenho o número exato, mas a quantidade de acessos tem aumentado significativamente", conta o dirigente à Máquina do Esporte. Outros mecanismos, no entanto, não garantem tamanho otimismo.

O Google Trends, ferramenta desenvolvida pelo Google para medir a audiência de sites na internet, aponta pico de acessos em meados de janeiro, justamente quando Gaúcho foi contratado pelo clube rubro-negro. Depois disso, os indicadores voltaram a patamar ligeiramente superior ao fim do ano anterior.

A mesma trajetória é confirmada pelo Alexa, mecanismo pertencente a outro gigante do mundo eletrônico, Amazon. Depois do ápice gerado pelo ex-atacante do Barcelona, os índices de audiência se revelam pouco acima do desempenho prévio. Vale lembrar que, nesse período, o Flamengo conquistou a Taça Guanabara.

Google Trends (Google)

Alexa (Amazon)