Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Foco de polêmica, Bellucci não endossa Topper

Guilherme Costa em São Paulo - SP Publicado em 30/07/2010, às 12h49

Apresentada na noite da última quinta-feira, a nova linha de calçados produzidos pela Topper para a prática do tênis tem como principal apelo o endosso de atletas apoiados pela marca. Mas isso não se aplica a Thomaz Bellucci, que integra a lista de patrocinados e criou polêmica por ter usado tênis de outras marcas em torneios disputados recentemente.

Bellucci tem contrato com a Topper até o próximo sábado. Brasileiro mais bem colocado no ranking mundial da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), o paulista não foi consultado pela empresa de material esportivo para o desenvolvimento de sua nova linha de calçados.

“Até por ser novo [tem 22 anos], o Bellucci ainda não tem o feeling ideal para fazer esse tipo de trabalho. Temos consultoria de gente do tênis, sim, mas usamos mais as opiniões do Fininho [Fernando Meligeni] e do [Guillermo] Villas”, contou Gilberto Ratto, gerente de marketing esportivo do grupo Alpargatas, que controla a marca Topper, citando dois atletas aposentados, um brasileiro e um argentino, que são ligados à marca.

A nova coleção de calçados para prática de tênis é um passo importante no alinhamento entre a Topper no Brasil e na Argentina. O grupo Alpargatas decidiu unificar as duas marcas em 2009, mas o desenvolvimento de produtos para essa modalidade ainda não havia atingido um nível tão grande de troca de conhecimentos.

“A Argentina colaborou com muita expertise sobre o produto”, explicou Daniela Weil, gerente de produto da Alpargatas. As principais alterações nos calçados foram feitas no solado, no reforço e no material, agora mais macio. Tenistas patrocinados pela Topper já usarão a linha a partir deste fim de semana, mas a previsão é que os produtos cheguem às lojas apenas em agosto ou setembro.

A valorização da expertise argentina tem relação com a própria história do grupo Alpargatas. A empresa começou no país portenho, iniciou atividades no Brasil posteriormente e depois separou suas operações.

Desde então, o mercado de tênis se desenvolveu mais na Argentina do que no Brasil. Além disso, a Topper transformou-se em uma marca basicamente ligada ao futebol no país pentacampeão mundial da modalidade.

Tudo isso mudou quando o grupo brasileiro comprou a Alpargatas da Argentina. Esse foi o pontapé para a unificação da marca e das estratégias da Topper, que adotou uma plataforma multiesportiva nos dois países.

Leia mais:

Confiante, Topper vai pressionar Bellucci em novo acordo