Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

FPF adota inteligência artificial em transmissões ao vivo

Tecnologia foi utilizada pela primeira vez na Copa São Paulo de Futebol Júnior

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 29/01/2020, às 15h06

Imagem FPF adota inteligência artificial em transmissões ao vivo

A Federação Paulista de Futebol (FPF) revelou, nesta quarta-feira (29), que adotou o uso de inteligência artificial em transmissões ao vivo. A tecnologia foi utilizada pela primeira vez na Copa São Paulo de Futebol Júnior, cuja edição de 2020 chegou ao final no último sábado (25).

LEIA MAIS: Real Madrid mira inteligência artificial com Alexa, da Amazon

LEIA MAIS: Por streaming, Globo compra empresa de inteligência artificial

LEIA MAIS: McLaren fecha parceria e terá robôs com inteligência artificial

Em parceria com a startup iSportistics, a FPF TV se aproveitou da tecnologia para a produção dos melhores momentos (highlights) dos jogos da Copinha. Os lances foram gerados de forma autônoma, a partir da inteligência artificial, e publicados nos perfis do próprio torneio e também nos da FPF no Facebook, rede social que também é parceira da entidade que comanda o futebol paulista.

Final da Copinha 2020 teve um Grenal pela primeira vez na história (Foto: Alexandre Battibugli / FPF)

"A Copinha 2020 foi um sucesso de público, ultrapassamos 600 mil pessoas nos estádios. Um sucesso técnico, com clubes realizando jogos de alto nível. Mas, neste ano, a inovação foi a grande novidade da competição. Tivemos, pela primeira vez, todos os 252 jogos transmitidos, seja pelo Grupo Globo ou por parceiros importantes do streaming, como Facebook e MyCujoo. E geramos os highlights de todas essas partidas, de forma inédita no futebol brasileiro, por meio de inteligência artificial. A parceria com a iSportistics foi um salto que demos. E iremos seguir inovando", afirmou Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da FPF.

"O uso da Inteligência artificial na produção e processamento agilizou um processo que normalmente é essencialmente manual. A tecnologia nos auxiliou na produção em série dos highlights, uma vez que chegamos a ter dia em que mais de 40 jogos foram disputados. A agilidade e eficiência da plataforma foi fundamental. Nosso plano é ampliar essa parceria com a iSportistics, oferecendo conteúdos com análises táticas", revelou Bernardo Itri, diretor de comunicação da FPF.

"As tecnologias da empresa vêm sendo desenvolvidas com o propósito de melhorar o esporte em todos os seus aspectos. Acreditamos que as mudanças contundentes precisam partir das lideranças de cada segmento, como a FPF é no esporte brasileiro. Pela representatividade que tem também no cenário global do futebol, a FPF agora pode estar alinhada às tendências mais modernas e inovadoras internacionalmente. Utilizando essas novas tecnologias, os editores concentraram sua atenção em criar conteúdo relevante, escolhendo os clipes de melhores momentos a partir do trabalho dos robôs. Uma economia enorme de recurso humano e uma maior valorização do talento", destacou Vinicius Gholmie, fundador e CEO da iSportistics.

O projeto envolveu o processamento de mais de 25 mil horas de jogos de futebol. Ao todo, mais de 6,5 mil melhores momentos foram identificados e cerca de 2 mil utilizados para compor os highlights dos jogos. Os melhores momentos da final, disputada entre Internacional e Grêmio no Pacaembu, também foram gerados a partir da nova tecnologia. O time colorado se sagrou campeão nos pênaltis após um empate por 1 a 1 no tempo normal.