Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Globo altera formato de transmissão da Fórmula 1 e ganha audiência na madrugada

Galvão Bueno comandou programa com diversos convidados antes e durante a corrida na Austrália

Duda Lopes - São Paulo (SP) Publicado em 16/03/2015, às 15h59

Imagem Globo altera formato de transmissão da Fórmula 1 e ganha audiência na madrugada

Preocupada com a audiência em queda nas transmissões da Fórmula 1, a Globo resolveu inovar nesta temporada de 2015. Na madrugada de sábado para domingo, a emissora apresentou um novo formato, com um “lounge” comandado por Galvão Bueno, em atração que entrou na programação meia hora antes da corrida. No Ibope, deu certo.

O programa criado foi gravado no mesmo estúdio do “Encontro com Fátima Bernardes”. Além da equipe padrão para a Fórmula 1, com Galvão, Reginaldo Leme e Luciano Burti, foram chamados convidados, entre atores globais e atletas do vôlei. Durante a corrida, a tela foi dividida em algumas oportunidades, exibindo as pistas e a sala criada.

Em São Paulo, a soma da corrida com a pré-transmissão somou cinco pontos de média. Foi a mesma pontuação registrada em 2014 para o Grande Prêmio da Austrália, que também abriu a temporada naquele ano. Mas, considerando o ajuste do Ibope, na prática isso significou 10 mil domicílios extras assistindo à transmissão da corrida.

Já no Rio de Janeiro o ganho de audiência foi mais significante. Em 2014, a corrida em Melbourne registrou apenas três pontos de média. Neste ano, com o programa abrindo a corrida, o Ibope registrou cinco pontos de média.

Por ora, a Globo não indicou se o formato valerá para todas as corridas do ano. Na madrugada, o ajuste é mais simples pela ausência de uma programação fixa, mas durante a temporada, haverá provas durante a tarde e durante a manhã de domingo. Nas próximas corridas, a emissora contará com o horário propício a continuar seu teste; os eventos serão na Malásia e na China.

Cada ponto no Ibope equivale a 67.113 domicílios sintonizados em São Paulo e 42.292 no Rio de Janeiro, ambos apenas nas regiões metropolitanas, referências para o mercado publicitário.