Gocil usa Indy para se aproximar de pilotos

Tony Kanaan foi um dos pilotos escoltados pela companhia de segurança

Tony Kanaan foi um dos pilotos escoltados pela companhia de segurança

Danica Patrick, Bia Figueiredo e Tony Kanaan. Durante a Fórmula Indy, finalizada na manhã desta segunda-feira (2) em São Paulo, após ter sido adiada no último domingo devido às fortes chuvas na cidade, esses são três dos cinco pilotos que tiveram a segurança pessoal feita pela Gocil, parceira do evento.

A empresa, após viabilizar acordo com a organização da etapa de automobilismo paulistana, agiu em diferentes frentes. Além dos pilotos individualmente, a companhia realizou todas as medidas de segurança para o público em geral, nas arquibancadas, e dentro da pista, entre asfalto, pneus e grades de proteção.

"É uma tarefa muito particular fazer a segurança da Indy em São Paulo, porque é um circuito misto", explicou Cezar Valverde, diretor de operações da Gocil, à Máquina do Esporte. "É muito difícil controlar todos os fatores envolvidos, pois as ruas da cidade não estão preparadas para receber uma corrida como essa".

O trabalho no Anhembi, local onde o evento esportivo foi realizado, segundo o diretor de operações, dura cerca de um mês. A Gocil começou a preparar a estrutura para receber a prova em 5 de abril, e ainda precisará de duas semanas para desmontagem. A companhia também cuida da limpeza no evento.

A etapa da Indy em São Paulo foi realizada, pelo segundo ano consecutivo, em um circuito de rua montado entre a Marginal Tietê, o sambódromo, o pavilhão de exposições do Anhembi e a avenida Olavo Fontoura. A prova tem contrato com a cidade até 2019.