Goiás estuda promoção para lotar Serra Dourada

Clube recebeu apenas 1.652 torcedores na estreia contra o Barueri

Clube recebeu apenas 1.652 torcedores na estreia contra o Barueri

O público do confronto entre Goiás e Grêmio Baureri, na estreia de ambos os times na Série B do Campeonato Brasileiro, revela dificuldade que a equipe espera enfrentar durante a competição. Dentro de campo, o clube alviverde venceu por 1 a 0 e levou três pontos, mas, nas arquibancadas, só havia 1.652 torcedores.

Contra o ASA de Arapiraca, no dia 3 de junho, a próxima partida a ser disputada em casa, o Goiás pretende iniciar promoção com a torcida. Quem estiver com a camisa esmeraldina ganhará direito a pagar meia-entrada. O clube está aguardando a autorização da CBF para começar a ativar a promoção e começar a divulgá-la.

Em relação ao estádio no qual a segunda divisão será disputada, o Goiás irá mesmo realizar esta temporada na Serra Dourada. No início do ano, com a queda para a Série B, o clube havia decidido jogar no Serrinha, estádio próprio e de menores proporções, para evitar reduzir as despesas e evitar prejuízos nesse quesito.

O Serrinha, contudo, possui capacidade para apenas oito mil pessoas, enquanto a CBF exige que arenas do segundo escalão tenham pelo menos dez mil lugares. A possibilidade de reformá-lo para ampliar o total em alguns milhares foi cogitada, porém descartada devido à falta de recursos para realizar as obras.

"Jogar nele sairia em torno de 20% ou 30% mais barato, mas também teríamos de fazer investimentos, e como o Serra Dourada está disponível, por que não utilizá-lo?", indaga Marco Goulart, gerente de marketing do Goiás. Em 2010, na primeira divisão, o clube gastou R$ 961 mil com despesas do estádio do Estado.