Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Governo de SP cria grupo para incentivar futebol de várzea

Decreto reconheceu modalidade como plataforma de inclusão social

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 27/09/2018, às 09h50 - Atualizado às 12h50

Imagem Governo de SP cria grupo para incentivar futebol de várzea

Os amantes do futebol de várzea receberam uma ótima notícia nesta semana. O governo de São Paulo instituiu, junto à Casa Civil, um grupo de trabalho destinado ao estudo de ações e à identificação de medidas para valorizar e proteger socioculturalmente a modalidade. Um decreto publicado na última terça-feira (25) reconheceu o futebol de várzea como plataforma de inclusão social. 

Foto: Reprodução

De acordo com a assessoria do governo paulista, o grupo de trabalho será formado, inicialmente, por membros da Casa Civil; Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude; Secretaria de Cultura; Museu do Futebol; Secretaria de Desenvolvimento Social e convidados de órgão; entidades públicas; sociedade civil; e setor privado. Após 180 dias de trabalho, será apresentado um relatório de conclusão.

Entre os objetivos principais está o tombamento dos campos de várzea e o debate e sugestão de políticas públicas que busquem preservar o espaço utilizado e formas de cooperação com os municípios e instituições privadas como forma de incentivo e expansão do futebol de várzea.

Vale lembrar que, em 1885, Charles Miller organizou a primeira partida de futebol no Brasil, em um terreno no bairro do Brás, em São Paulo. O terreno, baixo, plano e alagável pelas cheias do rio Tamanduateí, é conhecido como a “Várzea do Carmo”.

Desde o ato pioneiro do inglês, responsável por trazer o futebol para o Brasil, o esporte cresceu, assim como os times de várzea. Segundo a Liga Paulistana de Futebol Amador, somente na capital paulista existem aproximadamente 400 campos e 1.440 times registrados na entidade.

Foto: Reprodução

Campeonatos famosos, como a Copa Kaiser e o icônico Desafio ao Galo, acabaram, inclusive, revelando talentos para clubes profissionais e até para a seleção brasileira. Alguns exemplos bastante conhecidos são Elias e Ricardo Oliveira, ambos atualmente no Atlético-MG, e os ex-jogadores da seleção Cafu, Casagrande, César Sampaio, Denílson, Serginho Chulapa e Zé Roberto.

Fora de campo, o futebol de várzea também foi responsável por revelar grandes nomes da mídia esportiva brasileira. Alguns, hoje, já partiram para outras áreas do jornalismo, mas tiveram o futebol de várzea como pontapé inicial da carreira. Entre os nomes mais conhecidos estão Fausto Silva, Joseval Peixoto, Randal Juliano e Tiago Leifert.