Governo do Rio vai transformar Maracanã em presentes

O governo do Rio de Janeiro aprovou projeto para transformar o material que será dispensado do estádio do Maracanã durante a reforma para a Copa do Mundo de 2014 em material para ser vendido para turistas.

Nesta terça-feira, durante a realização do Footecon, na capital fluminense, parte da estrutura de concreto do estádio foi entregue aos presentes ao evento, como forma de dar uma lembrança às pessoas. As pedras, embaladas em metal, tornaram-se uma sensação entre as pessoas.

Agora, o governo do estado, proprietário do evento, define os últimos detalhes para começar a fazer a venda do produto, em versão mais popular, para os turistas. De acordo com Márcia Lins, secretária de esportes do estado, o projeto agora está na fase de definição do preço do produto para que então ele comece a ser comercializado.

A ideia é fazer a venda dos pedaços do Maracanã em caixas de plástico no mirante que será construído no estádio e inaugurado em janeiro. O local será usado para que o turista acompanhe o andamento das obras de reforma do Maracanã, podendo se transformar num centro turístico da região.

Além dos pedaços em concreto, o governo do Rio projeta vender outros pedaços do estádio, entre eles os vergalhões que deram sustentação ao local. Outra iniciativa será a venda de pedaços do gramado, em tamanhos de 1m".

Segundo Márcia Lins, um clube de São Paulo já encomendou o pedaço da grama, que seria usado numa homenagem ao Maracanã. A secretária, porém, não revelou qual seria o clube.

Astros assinarão linha para leilão

Além de promover a venda de artigos menores do estádio do Maracanã, o governo do Rio vai contar com a ajuda de ídolos do passado e do presente para promover leilões de objetos de jogo do estádio.

A ideia é fazer, a partir do ano que vem, leilões de todo o material que é referente ao cenário de jogo (trave, bancos de reservas, etc.). Os ex-jogadores Jairzinho e Zico já estão em conversa com o governo fluminense para autografarem parte do material.

O dinheiro que será arrecadado terá como destino, segundo Márcia Lins, as comunidades pacificadas da cidade do Rio de Janeiro.