Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Grupo chinês, dono de parte do Atlético de Madrid, agora quer o Milan

Grupo Wanda oferece quase R$ 500 milhões por 30% de clube italiano e quer erguer novo estádio do clube

Adalberto Leister Filho - São Paulo (SP) Publicado em 26/02/2015, às 14h47

Imagem Grupo chinês, dono de parte do Atlético de Madrid, agora quer o Milan

Wang Jianlin (centro), dono de 20% do Atlético de Madrid

Depois de comprar 20% do Atlético de Madrid, o magnata chinês Wang Jianlin, do Grupo Wanda, agora mostra interesse pela Itália. O milionário fez oferta por 30% das ações do Milan, clube que enfrenta grave crise e é apenas o nono colocado no Campeonato Italiano.

Segundo o diário China Daily, o Grupo Wanda ofereceu € 149,5 milhões (R$ 486 milhões) para ter parte das ações da equipe. A divisão imobiliária do conglomerado chinês também quer participar da construção do novo estádio do clube, no distrito de Portello, no noroeste da capital da Lombardia.

Segundo a imprensa italiana, o Grupo Wanda sofre concorrência de outra empresa asiática. O investidor Bee Taechaubol, dono de um império imobiliário na Tailãndia, também está interessado em adquirir parte do clube.

Silvio Berlusconi, presidente do Milan, parece mais inclinado em aceitar a oferta chinesa por conta do interesse de se associar ao projeto de erguer a nova arena.

Em 21 de janeiro, Wang Jianlin adquiriu 20% das ações do Atlético de Madrid por € 45 milhões em acordo firmado em Pequim com o presidente do clube espanhol, Enrique Cerezo, e o conselheiro delegado, Miguel Ángel Gil Marín.

Poucas semanas depois, o Grupo Wanda anunciou a compra da suíça Infront, uma das maiores companhias mundiais de direitos esportivos, por € 1,05 bilhão. A aquisição de parte do Milan seria mais um passo para o que o China Daily chamou de construção de “um império do esporte na Europa”.