Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Guaraná Antarctica fecha por três anos com Brasileirão Feminino

Patrocinador da seleção brasileira ampliou acordo para competição de clubes

Erich Beting - São Paulo (SP) Publicado em 28/07/2020, às 09h50 - Atualizado em 29/07/2020, às 09h47

Imagem Guaraná Antarctica fecha por três anos com Brasileirão Feminino

O Guaraná Antarctica é o novo patrocinador do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. O contrato deve ser oficializado nos próximos dias, quando a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmar a data de início da temporada 2020 da competição, possivelmente a partir de setembro.

LEIA MAIS: Análise: Futebol feminino pode ser exemplo ao masculino

O acordo foi divulgado durante live da escola The 360 com as presenças de Gilberto Ratto, diretor de marketing da entidade, e Pedro Thompson, diretor de marketing da marca de refrigerantes.

À Máquina do Esporte, Ratto confirmou o acerto e revelou que o acordo é válido por três temporadas* (errata: inicialmente, a informação era de que o acordo valeria por dois anos), o que faz do Guaraná o primeiro patrocinador privado de longo prazo do Brasileirão feminino. Antes disso, a Caixa chegou a patrocinar o Brasileirão Feminino, quando a CBF não fazia a gestão do torneio.

O patrocínio acontece depois de a Uber ter apoiado o torneio em 2019, em uma ação que durou meio semestre e envolveu placas de publicidade estática, além de patrocínio à transmissão do Brasileirão Feminino na Band, que mostrou um jogo por rodada na TV aberta. 

Uber patrocinou o Brasileirão Feminino em 2019, mas já abandonou o projeto (Foto: Divulgação)

O acordo com o torneio amplia o investimento do Guaraná no futebol feminino brasileiro. Em 2018, pouco antes da Copa do Mundo da modalidade, a marca decidiu criar uma campanha em que incentivava outras empresas a apoiarem o esporte. À ocasião, o Guaraná criou ensaios com as atletas Cristiane, Andressinha e Fabi Simões e os "emprestou" para outras empresas interessadas em investir na modalidade. Depois, em setembro, a empresa fechou pela primeira vez com um clube grande para a modalidade feminina ao assinar com o Atlético Mineiro.

"Não vamos querer entrar com uma mensagem tradicional. Vamos querer dar um 'soco no fígado', como na ação do ano passado", disse Pedro Thompson na live em que comunicou o patrocínio.