Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Holding holandesa entra na briga pelo naming right do Camp Nou

Scranton Enterprise tem ligação com empresa farmacêutica catalã Grifols

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 03/12/2018, às 14h58

Imagem Holding holandesa entra na briga pelo naming right do Camp Nou

A imprensa espanhola dá cada vez mais como certa a venda dos naming rights do Estádio Camp Nou por parte do Barcelona. Uma semana após a rádio espanhola RAC1 veicular o interesse da empresa farmacêutica catalã Grifols, agora foi a vez do diário Marca cravar que a holding holandesa Scranton Enterprise, que atua nos ramos imobiliário e de saúde, é que tem conversações avançadas para efetuar o negócio.

Vale ressaltar, no entanto, que nenhuma das duas ficaria com o nome do estádio. De acordo com o Marca, o que a Scranton busca é fechar com o Barça para gerenciar o processo de garantir uma marca que deseje dar seu nome ao Camp Nou.

Foto: Reprodução

Outra informação que difere da veiculada pela RAC1 na semana passada é o valor. A Scranton estaria tentando fechar por um valor entre € 300 milhões e € 330 milhões, enquanto o valor especulado com relação à Grifols era de € 400 milhões. O tempo de duração também mudaria: a Grifols queria fechar por 20 anos, enquanto a Scranton quer mais tempo que isso.

Qualquer acordo é considerado crucial para o clube, já que a ideia é fechar um contrato que ajude a cobrir os custos do Espai Barca, projeto de renovação de infraestrutura do estádio que está orçado em € 600 milhões e vai aumentar a capacidade do Camp Nou para 105 mil pessoas, além de construir uma nova arena para o time de basquete do clube.

O assunto envolvendo a questão dos naming rights do Camp Nou tem sido recorrente na imprensa espanhola. No final do mês passado, a Máquina do Esporte revelou que o Barcelona rejeitou uma proposta de € 300 milhões da Mediapro. A informação foi dada pelo CEO da própria empresa de mídia espanhola, James Roures, em uma entrevista à rádio também espanhola Cadena Cope.