Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Ibope apresenta pesquisa sobre esportes em escolas públicas

Formação dos professores foi um dos ítens avaliados pelo Ibope

Duda Lopes e Guilherme Costa em São Paulo - SP Publicado em 28/03/2012, às 15h30

Imagem Ibope apresenta pesquisa sobre esportes em escolas públicas
Formação dos professores foi um dos ítens avaliados pelo Ibope

Formação dos professores foi um dos ítens avaliados pelo Ibope

Na manhã desta quarta-feira, o Ibope apresentou à imprensa a pesquisa “Educação Física nas Escolas Públicas Brasileiras”. O documento foi um pedido da parceria formada pela a ONG Atletas pela Cidadania, o Instituto Ayrton Senna e o Instituto Votorantim, braço da empresa voltado para ações sociais.

A ideia do grupo era fornecer dados sobre a educação física nas escolas brasileiras a fim de que se crie políticas para melhorar a qualidade desse segmento na educação do país. A razão do levantamento está na proximidade de megaeventos, como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

A pesquisa foi de caráter opinativo e abrangeu 458 escolas espalhadas pelo Brasil. No fim de 2011, as questões foram feitas para o professor de educação física e o diretor ou vice-diretor de cada instituição.

Na pesquisa, foram avaliadas as capacitações dos professores e as estruturas das escolas. Segundo o Ibope, 30% das escolas não oferecem espaço para os alunos praticarem esporte. Mais da metade não possui um vestiário e 13% não têm nem mesmo uma bola de futebol.

Quanto à formação dos professores, 44% dos entrevistados possuem graduação e especialização, mas 6% têm apenas o ensino médio. Desse segundo grupo, 82% estão em zona rural e 74% estão no nordeste brasileiro.

Outro fator observado foi o número de frequência dos alunos às aulas. Segundo 41% dos professores, alguns alunos faltam muito nas atividades propostas. Para o Ibope, isso representa ou falta de motivação dos professores ou que essa motivação não se traduz em aulas atraentes.