Inter, Grêmio e Banrisul se reúnem para definir aporte

Encontro de presidentes e executivos irá selar destino do patrocínio

Encontro de presidentes e executivos irá selar destino do patrocínio

As negociações entre Grêmio e Internacional e Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul), patrocinador da dupla gaúcha desde 2001, estão chegando ao fim. Os presidentes e executivos das três partes irão se reunir na manhã da próxima terça-feira (21) para definir o futuro do patrocínio, sobre eventual renovação do contrato.

O atual acordo irá expirar no fim deste mês de junho, e o banco gaúcho enfrenta a concorrência de mais empresas interessadas em estampar a marca nas camisas tricolor e colorada. Por enquanto, a ordem nos clubes é esperar o desfecho das tratativas com o Banrisul, para somente então começar a negociar de fato com outras empresas.

Um dos principais fatores a ser revisto é o valor pago pela instituição a Internacional e Grêmio. O último contrato, acertado em setembro de 2009, após um ano de intensas negociações, fez com que o banco subisse o montante pago de R$ 3,6 milhões para R$ 7 milhões. À época, ambos estavam insatisfeitos com os valores.

Já em 2008, o Grêmio já havia manifestado interesse em acertar aporte de R$ 15 milhões anuais, em função da disparidade entre gaúchos e clubes de São Paulo e Rio de Janeiro. O Corinthians, detentor do maior acordo de patrocínio na época, recebia R$ 18 milhões anuais da Batavo - Ronaldo havia acabado de ser contratado pelos paulistas.

O Banrisul é conhecido, no Rio Grande do Sul, pelo extenso suporte financeiro que presta às equipes de futebol locais. Além dos dois maiores clubes do Estado, o banco patrocina outros 43 times das primeira e segunda divisões gaúchas. O foco da atuação do Banrisul, fundado em 1928, está justamente no Sul do Brasil.