Invista divulga pesquisa para nova campanha

Mulheres em corrida de rua: estética e marca em primeiro lugar.

Mulheres em corrida de rua: estética e marca em primeiro lugar.

As pessoas que praticam esporte casualmente se atentam mais às marcas na hora que compram seus vestuários esportivos do que ao tecido utilizado por eles, mesmo que deem uma considerável import"ncia a esse detalhe. Essa foi uma das conclusões que conseguiu a Invista após encomendar uma pesquisa qualitativa com esse público, e é essa a questão que a empresa quer reverter em sua atual campanha.

A intenção da Invista é alavancar a sua marca para fio poliamida, a Supplex. A campanha quer conscientizar os seus consumidores de que o tecido do uniforme para esportes é um fator decisivo para um melhor desempenho, fazendo com que as pessoas se atentem mais ao material usado do que a marca do produto.

A pesquisa foi feita em parceria com a Santa Const"ncia, que produz os tecidos de fato; a Invista faz a produção apenas do fio, sendo o Supplex um de seus produtos. Apesar da parceria com marcas como a Adidas e a Speedo, a gerente de Activewear da Invista, Danielle Freitas, ressalta a intenção de lidar com o público alvo diretamente. “Nós queremos criar uma cultura entre os consumidores, educá-los para entenderem o que é o fio que produzimos e como ele é importante na sua atividade física”, afirmou Freitas.

O primeiro passo dessa campanha está em um site temporário, com um concurso cultural até dezembro. A página explica o que é o fio Supplex e convida o internauta a participar de uma promoção que o leva a uma corrida de rua. O vencedor pode escolher entre o trajeto no Rio de Janeiro, em Salvador ou em São Paulo.

Com a pesquisa realizada, a empresa quis criar um perfil do consumidor de vestuários esportivos. Apesar da amostragem limitada – um universo de apenas 40 pessoas – o levantamento tentou exibir o modo como homens e mulheres pensam o esporte, divididos em grupos de 20 a 28 anos e 35 a 42 anos. As pessoas foram escolhidas nas capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Porto Alegre.

Os dados foram suficientes para a Supplex fazer algumas conclusões, como a diferença no modo como mulheres compram suas roupas esportivas. As mais velhas dão prioridade ao conforto e a roupas que não ressaltem as pequenas imperfeições corporais. Já as mais novas buscam a maior beleza do vestuário, apesar de os dois grupos refutarem o padrão estético vigente. Já entre os homens, o aspecto lúdico do esporte é mais valorizado, sem diferenças significativas entre as idades distintas.

Se o aspecto estético é menos valorizado entre os homens, a qualidade de tecido recebe maior atenção. A pesquisa apontou que eles chegam a checar a etiqueta para verificar a qualidade do material que está sendo comprado. Esse fato pode ser tão importante que parte desse público dispensa até o provador, sentindo-se satisfeito apenas com essa informação. E essa é a atitude que a Supplex espera alcançar.