Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Japão admite pela primeira vez possibilidade de adiar Tóquio 2020

Governo do país alterou discurso após 274 casos confirmados de coronavírus

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 03/03/2020, às 13h12

Imagem Japão admite pela primeira vez possibilidade de adiar Tóquio 2020

Desde que os primeiros casos de coronavírus surgiram em território japonês entre o final de janeiro e o começo de fevereiro, o governo do país se mostrou preocupado, mas não havia cogitado a possibilidade de adiar ou cancelar os Jogos Olímpicos previstos para Tóquio entre os meses de julho e agosto. Nesta terça-feira (3), porém, uma autoridade do país admitiu uma chance de mudança de data como uma situação a ser considerada.

A responsável pela afirmação foi Seiko Hashimoto, ex-patinadora e atual ministra dos Jogos Olímpicos no Japão. Segundo ela, no contrato assinado com o Comitê Olímpico Internacional (COI), está previsto que o evento seja realizado em 2020, mas não há uma data exata especificada. Em uma interpretação possível de ser feita, e que foi feita pelo governo japonês, a brecha abre a possibilidade de um adiamento da competição por alguns meses.

Foto: Reprodução

"O COI tem o direito de cancelar os Jogos somente se eles não ocorrerem dentro de 2020. Isso pode ser interpretado como a possibilidade de os Jogos serem adiados, contanto que sejam realizados durante esse ano. Estamos, no entanto, fazendo o máximo de esforços para que não tenhamos de encarar essa situação", disse a ministra, durante um encontro na sede do poder legislativo do país.

O COI, por sua vez, publicou uma nota oficial em que reforçou o compromisso de realizar os Jogos de Tóquio na data previamente estipulada, ou seja, de 24 de julho a 9 de agosto.

"Uma força-tarefa conjunta já havia sido criada em meados de fevereiro, envolvendo o COI, Tóquio 2020, a cidade anfitriã de Tóquio, o governo do Japão e a Organização Mundial da Saúde (OMS). O Comitê Executivo do COI aprecia e apoia as medidas que estão sendo tomadas, que constituem uma parte importante dos planos de Tóquio de sediar Jogos seguros e protegidos", afirmou a entidade, no comunicado enviado à imprensa.

Ao lado de Coreia do Sul e Itália, o Japão é um dos três países que mais têm registrado novos casos do coronavírus após a China. Até agora, foram confirmados 274 casos da doença em território japonês, com seis mortes. No mundo, o número de casos já ultrapassou 91 mil, com 3.118 mortes, a grande maioria delas na China.